Nos anos 1990, as conexões eram assim (Parte 2 - Os provedores)

Nenhum texto sobre a internet brasileira dos anos 90 ficaria completo sem citarmos as opções de provedores de acesso que tínhamos na época. Digo que o início da popularização da internet no Brasil, por volta de 1996-1997, foi um período de ouro em termos de oportunidades de negócios para quem estava preparado para aproveitar o momento (e poderia investir em alguma infraestrutura de telecomunicações, basicamente linhas telefônicas), muito embora a história tenha mostrado que foi uma janela pequena: já pelos idos de 1999-2000 os pequenos provedores regionais que ainda sobreviviam eram raros. 

Me lembro do meu primeiro plano de conexão que fiz no final de 1997 com um pequeno provedor que existia na minha cidade: pacote mensal de 20 horas de conexão a aproximadamente R$ 100; e R$ 5 por cada hora adicional. Para não receber uma conta astronômica do provedor no final do mês, tínhamos que ficar contando os minutos de conexão, além de sempre convivermos com o problema de insuficiência de linhas para conexão (o que gerava o desanimador tu-tu-tu do modem) e com a baixa velocidade, conforme descrevi no meu post anterior. E pensar que hoje eu reclamo da minha conexão ADSL de "míseros" 5 Mb... como as coisas mudam!

Em 1999 o meu pequeno provedor foi absorvido pelo UOL e a minha conta foi automaticamente migrada, embora sem grandes melhorias na infraestrutura (apenas adicionaram algumas linhas a mais) e ampliação automática do plano para 40 horas de conexão mensais, com a mesma mensalidade. Neste mesmo ano, a AOL estava desembarcando por aqui e despejando um caminhão de dinheiro em publicidade, cujo ápice foi o patrocínio do Rock In Rio 2001 (em 2006 eles saíram daqui com o rabo no meio das pernas e contabilizando um prejuzinho básico de 660 milhões de obamas).

Os famosos CDs promocionais da AOL e UOL: eu tive uma pilha deles!


Porém, neste mesmo ano, um fenômeno tomou de assalto a internet brasileira: a modinha dos provedores gratuitos!


Exemplo de provedores gratuitos que surgiram no final do século passado. Alguns deles não duraram nem um ano, como o Super11

iG, iBest, Click21, Super11, NetGratuita... estes eram alguns dos inúmeros provedores gratuitos que surgiram nesta época, vários deles associados a operadoras de telefonia (como o iBest que era controlado pela Brasil Telecom, atual Oi; e o Click21 da Embratel) e outros ligados a provedores tradicionais (como o NetGratuita que era do UOL). Na época, estava a fim de economizar na grana do provedor e resolvi embarcar na onda dos provedores gratuitos. O maior problema deles é que, como não recebiam muita atenção dos seus mantenedores, algumas das principais deficiências do acesso discado (linhas ocupadas e velocidade de conexão) eram crônicas. Encontrei uma forma prática para contornar estas questões: criei conta em TODOS eles! Assim, quando um dava ocupado, se a conexão caísse ou ficasse lenta, acessava outro provedor e assim sucessivamente. Me virei desta forma até 2002, quando migrei definitivamente para o ADSL.

Para finalizar, vale a pela mencionar uma "pegadinha" que data desta época: muitos dos provedores gratuitos só tinham telefones de conexão disponíveis nas capitais e principais cidades. Desta forma, atraídos pela possibilidade de conexão gratuita, muitos incautos não prestavam atenção neste "pequeno detalhe" e acabavam discando para um número de conexão em outra cidade, recebendo uma surpresa bastante desagradável na conta de telefone com a cobrança de interurbanos...

É isso aí. Espero que tenham gostado! 

Próximo:

Anterior:

Veja também:

Comentários

  1. Nossa essa vc ressucitou de long time ago!!! Aqui em Curitiba agente tinha um provedor quando o shopping estação era só pra diversão, era o SYG lembra? pelo menos era o mais barato... ahhh sem falar que era super fácil se logar nos backbones da telepar KKKKK, tipo eles tinha umas senhas de administrador super fácil de "achar" e a galera mudava a conexão de 256 kbps para 512 k, kkkkkk
    Parabéns pelo blog!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado! Também me lembro desta história dos backbones da finada Telepar... hehe
      Quanto ao provedor SYG, eu ainda não morava em Curitiba nesta época, mas já tinha ouvido falar dele através dos meus primos que moravam aqui.
      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Caramba, que nostalgia!!

    Eu me lembro quando comecei a usar internet em 2000 quase 2001, eu normalmente me conectava no IG discando 1500-2000 com user/senha ig/ig. Que delícia era ouvir aquele barulho do modem quando estava estabelecendo conexão, eu cheguei a usar AOL por alguns meses, mas depois eu fui me virando do mesmo jeito que você com conta em todos os provedores gratuitos.

    Em 2003 eu migrei pro ADSL (TELEMAR VELOX) e que tesão era baixar músicas no KazaA com 256Kbps hahahha. Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado!

      Eu utilizei os provedores UOL e depois o Onda até 2001, quando decidi não mais pagar por internet discada e aderi aos gratuitos. Logo depois migrei para o ADSL da então Brasil Telecom de 256 Kbps, que maravilha! Ficar conectado o dia todo sem ocupar o telefone e sem contar pulso não tem preço! :p

      Além do Kazaa eu utilizava bastante na época o iMesh, na verdade o Hacked iMesh que vinha sem os crapwares.

      Excluir

Postar um comentário