286 turbinado #2

Veja como foi a montagem do glorioso 286 turbinado!


Antes de começar os trabalhos eu busquei uma forma de adequar uma fonte de alimentação atual ao gabinete do 286, pois como pode ser visto no antecessor projeto PC/AT a fonte original era consideravelmente maior e assim acabava sobrando um “buracão” na montagem.

A melhor solução que encontrei foi aproveitar a carcaça da fonte antiga adaptando nela a nova:


Desta forma o acabamento ficou bem melhor, sem o famigerado “buracão” no painel traseiro:


Com a questão da fonte solucionada pude partir para a montagem em si:


No detalhe os lindos Harris 286 e Intel 287, além dos chips dos firmwares da placa e do controlador do teclado:


Ao montar sistemas AT lembre-se sempre da regra dos “pretos no meio”: os conectores da fonte de alimentação devem ser fixados de modo que os dois pares de frios pretos fiquem no centro, uma vez que tais conectores podem ser encaixados em duas orientações distintas (o que não ocorre no padrão ATX).


Com a placa de vídeo podemos fazer o primeiro teste de funcionamento.


Tudo certo, inclusive com a nova quantidade de memória corretamente detectada! Os erros do CMOS são em decorrência da remoção da bateria de Ni-Cd, assim eram esperados.


Montagem praticamente pronta: foram adicionadas a placa de som e a placa controladora de I/O, além dos dispositivos de armazenamento.


Instalar a controladora de I/O no primeiro slot é recomendável para reduzir a passagem dos cabos pelo gabinete - uma forma rudimentar de gerenciamento de cabos.


Como há apenas uma porta IDE na controladora o disco rígido e a unidade de CD compartilham o mesmo cabo. Desta forma foi necessário posicionar o disco na vertical para que a conexão fosse possível.


Positivo e operante! O pequeno dano na grade do gabinete ocorreu durante o transporte ao meu novo laboratório. Merdas acontecem. 💩


Ostentando a sua unidade óptica. Que 286 chique!


Por fim, vale lembrar que toda a série pode ser acompanhada aqui. Até a próxima! 

Comentários

  1. Queria ter contato com um 286, jamais tive, pois no BR devido a Reserva da época, saímos direto dos clones de 8088 para os 386/486, interessante ter contato com uma plataforma que quase foi inexistente no Brasil.
    Em todos os artigos que li, o 286 foi uma plataforma bastante subestimada, tanto pelo bug de não conseguir voltar ao modo protegido/real automático, quanto pelo sistema dominante (MS-DOS) ainda usar o modo 8088, exceto os sistema Unix, somente o Windows 2.0/3.0 começou a usar o modo protegido, mas aí o 386 ja havia sido lançado e se tornado o padrão, a morte definitiva do 286 foi com o lançamento do 386SX em 1988, uma versão ''Celeron'', capada pra 16 bits, iniciando o mercado de PCs de baixo custo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, lembro bem. Na empresa que meu pai trabalhou eles ficaram anos com os clones nacionais do XT e quando o mercado finalmente abriu pularam direto para os 386 SX.

      Quanto ao 286, que eu me lembre apenas certas variações do Unix/Minix foram compiladas para fazer uso do modo protegido dele. O Windows 2 e o 3/3.1 rodam em modo real nos 286 (que a MS chama de "Standard Mode", contra o "Enhanced Mode" dos 386 e superiores) apenas usando um gerenciador de memória para acessar toda a RAM disponível. Como esses Windows são meros ambientes gráficos e o acesso aos dispositivos e ao sistema de arquivos é feito pelo DOS, ficava inviável usar o modo protegido do 286 pela limitação dele - a impossibilidade de chavear de volta ao modo real sem reiniciar o chip.

      Mas justiça seja feita: os 286 executam códigos de 16 bits mais rápido do que os 386 SX. Nos testes que fiz o Harris 286 25 MHz ficou na frente do 386 SX de 33 MHz.

      Excluir
  2. Você conhece o site ''The Silicon Underground"?
    É de um entusiasta de tecnologia americano que faz artigos de tecnologia atual e retrô, como você, alias, foi desse site que li sobre o 286 vs 386SX, muito interessante os artigos do site, caso interessar, vou deixar o link aqui.
    O engraçado é que ele fala que em 1994-1995, ainda era possível achar computadores 386SX a venda, isso sendo EUA
    ''https://dfarq.homeip.net/286-vs-386sx/''

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas da semana

RIP IBM