Dicas Debian #10 – Montando arranjos RAID

E não é que chegamos à décima parte do especial sobre o lindo e maravilhoso Debian? Nesta postagem veremos como configurar um arranjo RAID, não perca! 🐧


Chipset X Software

É realmente difícil encontrar drivers atualizados para Linux da controladora RAID presente nos chipsets das placas-mãe, muito devido ao desinteresse da Intel e AMD. A comunidade do software livre também nunca se interessou em desenvolver drivers de código aberto, pois na opinião dos desenvolvedores o RAID implementado nos chipsets é na verdade um “fake RAID”, com o que particularmente eu concordo.

Polêmicas à parte, é perfeitamente possível implementar arranjos RAID no Linux sem depender de drivers proprietários e mesmo do suporte do chipset – tais arranjos são conhecidos como software RAID.

Mãos à obra

Para configurar o seu RAID no Debian instale o pacote mdadm:

$ sudo apt install mdadm

Primeiramente é necessário descobrir os identificadores dos discos que farão parte do arranjo, com o comando:

$ sudo fdisk -l

No meu exemplo usarei os discos sdb e sdc. Vale notar que o mdadm também permite criar arranjos sem ocupar todo o espaço dos discos, usando partições. Pessoalmente eu prefiro usar os discos completos, e recomendo também aplicar dois modelos idênticos por questão de performance.

O comando para criar um arranjo é o mostrado abaixo: no exemplo criei um RAID 0 usando a capacidade total de dois discos. Lembre-se de que os discos serão completamente apagados durante o processo!

$ sudo mdadm --create /dev/md0 --level=0 --raid-devices=2 /dev/sdb /dev/sdc

Os principais parâmetros são estes:

create: define o nome do dispositivo
level: define o tipo do RAID (0, 1…)
raid-devices: especifica o número de dispositivos


Após a criação confira o status do arranjo. Note que este comando deve ser feito como root:

$ su -l
# mdadm --query --detail /dev/md0


Com tudo certo podemos formatar o mesmo:

# mkfs.ext4 /dev/md0


Para definir o ponto e as opções de montagem acho muito mais prático usar o utilitário Discos do Gnome: selecione o arranjo RAID na lista de dispositivos e em seguida clique no botão das engrenagens. No menu escolha editar opções de montagem.


O ponto de montagem é de livre escolha, e recomendo usar o identificador UUID como mostrado abaixo:



O KDE também possui um utilitário similar:


Por fim, defina o seu usuário como o proprietário da pasta de montagem do dispositivo para não ter problemas com permissões. Substitua o “usuário” pelo nome do mesmo e a “/pasta” pelo ponto de montagem.

$ sudo chown usuario /pasta

Vale lembrar que todas as postagens sobre o Debian podem ser conferidas aqui. Até a próxima!

Comentários

  1. Usando a função formatar do Discos do Gnome, o dono da raiz do sistema de arquivos recém criado é automaticamente alterado para o usuário corrente. E, a partir da versão 41, tem uma opção na interface para fazer o mesmo para sistemas de arquivos existentes.

    Você criou o arranjo usando toda área dos dois discos (/dev/sdb e /dev/sdc). Criar uma partição englobando todo o espaço de cada um seria minha preferência -- o tipo para MD é "Linux RAID", 0xFD em MBR e A19D880F-05FC-4D3B-A006-743F0F84911E em GPT. Daí usaria, na invocação do mdadm, /dev/sdb1 e /dev/sdc1... 😎 É questão de gosto e um pouco de coeficiente de cagaço, pois tenho medo que outros sistemas operacionais façam besteira com a estrutura do arranjo começando diretamente em LBA 0. Com a partição, não tem risco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Windows os discos do RAID aparecem como não inicializados, é só deixar eles quietos lá (sem inicializar) que fica de boa.

      Excluir

Postar um comentário

Mais lidas da semana

AGP Beast #3