O que é isso, companheira AMD?

Segundo a ASRock, a AMD explicitamente proibiu que fosse adicionado suporte aos Ryzen 5000 nos chipsets da série 300. Isto prova novamente aos fanboys que não existe empresa boazinha.

As placas-mãe baseadas nos chipsets da série 300 (X370, B350 e A320) foram as primeiras AM4 lançadas, no já distante ano de 2017. Elas tiveram suporte (não oficial, diga-se de passagem) até os Ryzen 3000 (Zen 2) e havia grande expectativa de que os Ryzen 5000 (Zen 3, nome-código Vermeer) também fossem suportados, o que não acontecerá.

Segundo o suporte da ASRock informou em resposta a um questionamento feito em um fórum de hardware alemão, a AMD proibiu veementemente os fabricantes de adicionarem suporte por conta própria aos novos chips, o que já estava sendo feito de forma tímida por alguns deles, incluindo a própria ASRock. Segue a resposta:


"Unfortunately, we received AMD’s warning that X370 shouldn’t supports Vermeer CPU. Obviously, some customer didn’t operate it under table, AMD noticed it and said ASRock shouldn’t do this anymore.

The attached file is BIOS and it is the last BIOS which I can provide for you in this case, please pass it to user under table."


Diante deste cenário, é bastante improvável que algum fabricante queira entrar em conflito com a toda poderosa AMD por causa de placas-mãe “velhas”, até mesmo pois eles também vão acabar vendendo novas placas em função da falta de suporte. Ou seja, há vantagens para quase todos os lados, menos aos consumidores.

Este episódio serve também para os fanboys ferrenhos defensores de empresas de tecnologia aprenderem que nenhuma delas faz caridade. O negócio é ser defensor da sua própria conta bancária.

Comentários

Mais lidas da semana

Avaliando o ReFS

Ficou feio