O PC Gamer dos sonhos de 1998 (Parte 3 – Troca da placa-mãe)

Durante os benchmarks do PC surgiram instabilidades oriundas da placa-mãe. Assim foi necessário realizar a troca da mesma.


Antes de começarmos vale lembrar que a lista dos componentes está primeira parte desta série, e a montagem está na segunda. 👍

E quais instabilidades foram? Basicamente duas, mas que são impeditivas para a continuidade dos testes: a primeira delas é que nos reboots frequentemente a placa entrava em um ciclo sem fim e ficava reiniciando sozinha durante o POST, parando apenas quando a fonte de alimentação era desligada. A segunda é que muitas vezes os drivers de vídeo da Riva TNT desapareciam do sistema, como se nunca tivessem sido instalados, sempre após cold boots.

Para o diagnóstico decidi usar uma outra placa-mãe, e a única slot 1 que havia disponível do meu estoque é esta linda Asus P3V4X baseada no chipset Via Apollo Pro 133A, que como o próprio nome diz também suporta a frequência do barramento frontal de 133 MHz e memórias PC133. De fato, com esta placa-mãe e após uma instalação limpa do Windows 98 SE não houveram mais instabilidades.


Na imagem abaixo vemos o slot 1, quatro soquetes para módulos de memória SDR-SDRAM PC100 ou PC133 (2 GB de capacidade máxima) e duas portas PATA/IDE UDMA4 (66 MB/s).


Aqui vemos os slots de expansão: AGP 2X/4X, seis PCI de 32 bits e um ISA de 16 bits, além da porta para a unidade de disquete e o chip ponte sul Via VT82C596B:


O painel traseiro conta com duas portas PS/2, duas USB 1.1, uma paralela e duas seriais:


Com a nova placa-mãe passei a usar este módulo PC133 de 128 MB, que seria uma verdadeira ostentação em 1998. Todos os demais componentes do projeto são os mesmos.


Aqui temos os componentes montados no gabinete, com destaque para a Riva TNT e as duas Voodoo2:


Complementam o time a Sound Blaster AWE64 e a placa de rede:


O resultado final:



Todos os ajustes de frequências e tensões podem ser feitos pelo setup:


O Windows 98 SE foi reinstalado do zero, assim como os drivers do chipset (o então famoso Via 4 in 1) e dos demais componentes do sistema.


De um modo geral notei que o sistema ficou bem mais responsivo com a nova placa-mãe. Excelente! 😎


Até a próxima parte!

Comentários

  1. Imprevistos acontecem... ainda mais com hardware com mais de quase 25 anos atrás haha
    Parabéns pelo projeto. Nessa época, uma boa placa mãe fazia muita diferença no desempenho. Lembro-me de testes do Clube do Hardware com processadores K6-2 onde a simples troca de uma placa mãe PCChips por um de boa qualidade resultava num aumento de desempenho de uns 20%... isso sem contar a ausência de instabilidades.

    Estou esperando para ver o desempenho desta nova belezinha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, foram as PCChips que fizeram a má fama que os K6 injustamente tinham.

      Excluir
  2. Quando vi o unboxing do PII de cartucho, logo me lembrei dessa plaquinha aí, que me fez feliz por um bom tempo. Hehe

    ResponderExcluir
  3. Uma correção, em vez de "Cinco PCI", é "Seis PCI". Realmente estes chipsets da VIA eram top, na época eram considerados anos luz à frente dos i810 e afins.

    ResponderExcluir

Postar um comentário



Mais lidas da semana

Avaliando o ReFS

Revisitando o Windows 8