Unboxing: placa-mãe ASRock H61M-HG4

Sim, ainda são produzidas placas-mãe soquete LGA 1155! Nesta postagem mostrarei um modelo de entrada da ASRock baseada no chipset Intel H61, que é fabricada na Zona Franca de Manaus.

Esta é a embalagem:

Notem os textos em português, visto que a placa é fabricada na Zona Franca de Manaus.

O kit é bastante simples, como era de se esperar: um guia de instalação, o clássico DVD com drivers desatualizados, o espelho traseiro e dois cabos SATA.

A H61M-HG4 é uma placa Micro ATX de construção bastante simples e todos os capacitores são sólidos. As suas características principais são as seguintes:

  • Soquete LGA 1155 compatível com os processadores Intel Core de segunda e terceira geração (Sandy e Ivy Bridge);
  • Dois soquetes para módulos de memória DDR3 de até 1600 MHz, suportando no máximo 16 GB de capacidade total;
  • Chipset Intel H61;
  • Um slot PCI Express 2.0/3.0 X16;
  • Um slot PCIE 2.0 X1;
  • Quatro portas SATA-300;
  • Controlador Gigabit Ethernet Realtek RTL8111E;
  • Codec de áudio Realtek ALC662.

O slot PCIE x16 funciona no modo 2.0 em conjunto com os processadores Sandy Bridge, e no modo 3.0 com os Ivy Bridge. Como são controladas pelo chipset H61, as portas SATA são limitadas ao modo de 300 MB/s.

O circuito regulador de tensão é bastante simples, com apenas quatro fases. Notem que a área do soquete possui dois padrões de furação, o que permite que coolers feitos para o soquete LGA 775 também possam ser utilizados.

Os conectores do painel traseiro, da esquerda para a direita:

  • PS/2 para mouse e teclado;
  • DB15 (VGA);
  • Duas portas USB 2.0;
  • HDMI;
  • Conector Ethernet (RJ45) e duas portas USB 2.0;
  • Conectores de áudio analógico.

Também devido ao chipset H61, esta placa é limitada ao padrão USB 2.0.

Embora a ASRock H61M-HG4 seja uma placa-mãe extremamente simples baseada no chipset de entrada H61, é bem bacana ainda poder encontrar placas novas para a já antiga plataforma LGA 1155. Até o próximo projeto!

Comentários

  1. Duvido que o cara que vai montar utilizando esta placa mãe vai utilizar processador e cooler novos e zeros...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitas vezes a pessoa tem um PC antigo para a família usar em tarefas leves (office, email, vídeos, etc). E a placa mãe pifa. Aí a pessoa quer uma placa mãe de reposição sem precisar comprar uma topo de linha. Que bom que ainda produzem essas placas. (No meu caso, o tal PC da família tem: Placa Mae ASRock G41, Core2duo E7400, 4GB de memória RAM, HD 320GB, Geforce GT 520, Corsair CX 430W) :)

      Excluir
  2. No Brasil, poucos podem se dar ao luxo de adquirir um PC 0Km. Por isso há uma enorme quantidade de PCs mais antigos em uso por aí, e um dos itens que mais dá problemas é a placa-mãe, que acaba finando-se muito antes das memórias e do processador.

    Eu mesmo tive um problema assim, com uma máquina AM2, montada no início de 2007, cuja placa mãe original morreu e não era mais fabricada. O jeito foi apelar, em meados de 2016 para uma placa barata da ASRock que ainda existia a venda.

    Ainda tenho esse PC, é máquina "reserva". Com Linux instalado e 4GB de RAM, dá para usar numa boa: navegar na Internet, LibreOffice, assistir vídeos e jogar alguns jogos mais antigos, como Doom e Quake 4, privilégios que muita gente não tem.

    ResponderExcluir
  3. Sem falar da enorme base de PCs corporativos que ainda tem Intel de segunda e terceira geração...

    ResponderExcluir

Postar um comentário