Unboxing e primeiras impressões: SSD Maxtor Z1 de 240 GB

A Maxtor está de volta! O Z1 é um SSD SATA-600 tradicional e aqui estão as minhas impressões sobre o modelo de 240 GB.


Eis o Maxtor Z1 e a sua embalagem:



O modelo conta com chips Flash NAND TLC que gravam três bits de dados em cada célula de armazenamento, aumentando desta forma a densidade e reduzindo o preço por gigabyte, ao custo de uma menor durabilidade se comparado aos chips MLC e SLC que gravam dois e um bit em cada célula, respectivamente.


O chip controlador é um Phison S11.


Segundo a Seagate (vale lembrar que a Maxtor foi comprada pela Seagate há alguns anos), o TBW (Total Bytes Written) desta unidade é de 90 TB. Trata-se da quantidade de dados que podem ser gravadas no dispositivo sem que ocorra diminuição de performance, é como se fosse a garantia do fabricante. Para contextualizar, se todo dia eu reinstalar o Windows 10 que ocupa cerca de 20 GB, eu levaria 4.608 dias ou quase 13 anos para atingir o TBW da unidade. 

Conforme a publicidade do produto, esta unidade sustenta 540 MB/s para leitura e 475 MB/s para escrita, ambas sequenciais. Os números levantados pelo CrystalDiskMark não mostram isto:


As informações levantadas pelo CrystalDiskInfo:


Concluindo, o Maxtor Z1 é uma unidade de armazenamento SATA típica, que não se diferencia das várias outras que estão no mercado. A sua aquisição ou não depende puramente do preço.

Comentários

  1. Até que ponto será que podemos acreditar no TWB, principalmente hoje com a obsolescência programada?
    As vezes após alguns anos de uso, mesmo um componente da controladora pode parar de funcionar, a capacidade para alguns usuários se torna pequena, a pessoa monta outro pc, etc.
    Mas para os que permanecerão com o SSD após anos, irão recorrer à garantia caso necessitem? Geralmente a garantia dura um ou dois anos.
    Ou talvez joguem fora e comprem um novo.
    Um questionamento apenas a título de curiosidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É difícil dizer, mas dificilmente um SSD de marca conceituada vai dar problema antes de acabar a garantia.

      O meu primeiro SSD que comprei em 2011 ainda está firme e forte aqui, e logo estará em um projeto muito especial!

      Excluir
    2. Em tempo: https://www.michaelrigo.com/2018/06/primeiro-ssd-ninguem-esquece.html

      Excluir
    3. Olá, no meu primeiro SSD não tive sorte, com menos de um ano de uso parou de ser detectado pela BIOS, mesmo em outra maquina não detectava. Ocorreu após suspender a maquina.
      Antes do defeito a vida e saúde estava em 100%.
      A garantia trocou o SSD porém os dados que não tinha backup, perdi não teve jeito.

      Excluir
    4. Qual marca e modelo o seu primeiro SSD era?

      Excluir
  2. Sim, eu li esse artigo, e inclusive comentei sobre meus dois SSDs, mas como alterei meu e-mail aparece como “unknown”.
    Apesar do meu questionamento, realmente acho que os SSDs já estão em sua maturidade.
    Tenho alguns HDs da Seagate e Maxtor que faltando algumas milhares de horas de uso esperado, já abriram o bico, e não são mais confiáveis, com o Crystal Disk dando o alerta do maldito Reallocated Sector Count.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discos mecânicos são naturalmente mais propensos a falhas pela presença de muitas partes móveis.

      Excluir

Postar um comentário