Dicas Linux #3 – Os sistemas de arquivos

Ter um dual boot entre o Linux e o Windows é ter o melhor dos dois mundos, embora há algumas considerações sobre a interoperabilidade dos dois sistemas operacionais com os respectivos sistemas de arquivos. Felizmente esta questão é bem mais simples hoje em dia do que foi em um passado não muito distante.


Para a produção desta postagem tomei como base o Ubuntu 19.10 e o Windows 10 November 2019 Update. Se você utiliza outra distribuição Linux e/ou outra versão do Windows é muito provável que as dicas mostradas funcionem, embora eu não possa afirmar com total certeza.

NTFS no Linux

Após o surgimento do driver NTFS-3G o suporte a este sistema de arquivos no Linux ficou muito mais versátil, pois há suporte também para escrita com total segurança, e felizmente hoje em dia todas as principais distribuições trazem o NTFS-3G instalado por padrão. Desta forma, o NTFS é a melhor alternativa para o uso em partições que possam ser acessadas sem limitações por ambos os sistemas, pois é bem mais segura do que os antigos sistemas de arquivos FAT/FAT32 e derivados.

Uma única observação diz respeito a um recurso implementado pela Microsoft a partir do Windows 8, chamado de inicialização rápida. Quando o PC é desligado, este recurso faz com que as partições do sistema não sejam desmontadas, mas sim colocadas em um estado semelhante ao do modo de hibernação, o que teoricamente agilizaria o próximo boot – vale lembrar que a reinicialização não é afetada.

Por motivos de segurança dos dados armazenados, o driver NTFS-3G monta como somente leitura partições que não tenham sido devidamente desmontadas. Para lidar com isto há duas alternativas: desabilitar o recurso de inicialização rápida no Windows (como mostrado na imagem abaixo) ou então desligar o PC sempre pelo Linux.


ext4 no Windows

Com a ajuda de um pequeno freeware, o DiskInternals Linux Reader, é possível acessar partições ext4 no Windows, muito embora como somente leitura. De qualquer modo, é uma mão na roda quando se está no Windows e seja necessário acessar algum arquivo em uma partição ext4 sem precisar reiniciar o PC no Linux.



O software também pode pré-visualizar alguns tipos de arquivos:


Bem como permite criar imagens de partições ou mesmo de unidades inteiras:


Além de também montar imagens de vários tipos:


Com as novas ferramentas disponíveis, ter tanto o Linux quanto o Windows no mesmo PC tornou-se algo bem menos complicado do que era há poucos anos. Vale a pena experimentar!

Comentários