O sistema operacional do apocalipse

Ainda não sabemos como será o fim do mundo. Um desastre natural? Uma guerra nuclear? Uma bactéria ou vírus mortal? Uma infestação de zumbis? Qualquer que seja o final dos tempos, uma coisa é certa: haverá um sistema operacional capaz de rodar no que sobrar da tecnologia como a conhecemos. Conheçam o Collapse OS!


Desenvolvido pelo programador canadense Virgil Dupras e compilado para o processador Zilog Z80, o Collapse OS será o sistema operacional mais utilizado no mundo pós-apocalíptico desbancando facilmente o Windows. Mas porque o sistema roda no Z80? Lançado em 1976, o chip de 8 bits da Zilog está presente em incontáveis dispositivos e é produzido até hoje, assim em um mundo devastado as chances de você encontrar algum equipamento com o Z80 serão grandes. Muito bem pensado!


Conforme a página do projeto, o Collpase OS compõe um kernel para o Z80 (sob a licença GNU), alguns programas (como um shell e um editor de texto baseado no ed do Unix), ferramentas e documentação, com a capacidade de ser compilado dentro de si mesmo. Ele também consegue ler cartões SD. Wow!

O kernel ocupa apenas 3 KB de RAM, chegando a 8 KB ao se auto compilar, enquanto que o editor de texto ed usa um mísero KB. Segundo o desenvolvedor, o Collapse OS já é capaz de rodar nos consoles Master System e Mega Drive. É isso aí, mesmo após o fim do mundo os nerds ainda terão um bom passatempo! 😎

Em tempo, o código-fonte e a documentação do sistema podem ser encontrados no GitHub.

Comentários

  1. Respostas
    1. É uma boa, pois a chance de achar um Apple II no porão de alguma construção em ruínas é grande. Ou no nosso caso, algum clone nacional da reserva de mercado.

      Excluir
    2. Melhor ainda: os Nintendinhos!

      Excluir
  2. Pra quem quiser se aventurar, achei essa pagina com emuladores z80.

    http://www.z80.info/z80emu.htm#EMU_CPU_VAR

    Em especial o MyZ80, para Dos-Pc como comentaram no fórum do Collapse.
    Quanto ao hardware, o mais primitivo pra se rodar o SO, é um z80 com saída hexadecimal. (Tenho uma máquina leitora de cartão de ponto com essa configuração, mas não consegui por pra funcionar).
    Sempre tive curiosidade por esse processador. No começo dos anos 90, comprei o livro “construa seu próprio microcomputador Z80”. Comecei a desenhar a placa de circuito impresso da placa mãe, mas desisti quando chegou na placa de video, por sua extrema complexidade e numero de CIs. Tenho um conhecido “corajoso” que conseguiu construir e por para funcionar. Hoje a gente parece que vai perdendo a coragem de se aventurar nessas coisas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Hoje a gente parece que vai perdendo a coragem de se aventurar nessas coisas!"

      No meu caso, é pela idade! rsrsrsrs

      Excluir
  3. Não brinca não!!!!
    Eu sou mais velho que você, aí eu me sinto um idoso! Kkkk
    Sou da época dos transistores de germânio!!! Kkk

    ResponderExcluir

Postar um comentário