AMD anuncia oficialmente os Ryzen 3000 e as Radeon RX 5000

A espera terminou! Na Computex 2019 a gigante de Sunnyvale anunciou a nova linha de processadores Ryzen 3000 e as novas Radeon RX 5000. Confira todos os detalhes aqui!


Ryzen 3000

Até o momento cinco modelos dos novos Ryzen foram apresentados, com as seguintes características técnicas:

  • Ryzen 9 3900X: 12 cores/24 threads, frequência base de 3,8 GHz e boost de 4,6 GHz, 70 MB de cache, TDP de 105 W e preço de US$ 499;
  • Ryzen 7 3800X: 8 cores/16 threads, frequência base de 3,9 GHz e boost de 4,5 GHz, 36 MB de cache, TDP de 105 W e preço de US$ 399;
  • Ryzen 7 3700X: 8 cores/16 threads, frequência base de 3,6 GHz e boost de 4,4 GHz, 36 MB de cache, TDP de 65 W e preço de US$ 329;
  • Ryzen 5 3600X: 6 cores/12 threads, frequência base de 3,8 GHz e boost de 4,4 GHz, 35 MB de cache, TDP de 95 W e preço de US$ 249;
  • Ryzen 5 3600: 6 cores/12 threads, frequência base de 3,6 GHz e boost de 4,2 GHz, 35 MB de cache, TDP de 65 W e preço de US$ 199.

Em comum, todos contam com a microarquitetura Zen 2 e litografia de 7 nm FinFET da TSMC, 16 linhas PCI Express 4.0 e dois canais de memória com suporte oficial a módulos DDR4-3200. Chamou-me a atenção a expressiva quantidade de cache, que chega a incríveis 70 MB no Ryzen 9. A AMD também promete ganhos de 15% no IPC e o dobro de performance na unidade de ponto flutuante em relação aos Ryzen 2000.

Confesso que eu tinha esperança por um modelo com 16 cores, mas seria difícil manter o TDP até os 105 W, que é o suportado pelas placas AM4 atuais. De qualquer modo, 12 cores está de bom tamanho, ainda mais que em alguns casos não há necessidade de trocar de placa-mãe (mais detalhes abaixo). 

O lançamento global será no dia 7 de julho. Veja mais informações aqui.

Chipset X570

A AMD também anunciou o novo chipset X570. Ao contrário da transição do X370 para o X470, o novo chipset traz várias melhorias relevantes:

  • Até 16 linhas PCIE 4.0 (além das 16 linhas do processador);
  • Doze portas SATA;
  • Oito portas USB de 10 Gbps;
  • Quatro portas USB de 480 Mbps.

Quanto à aplicabilidade dos Ryzen 3000 com as placas-mãe e chipsets atuais, a AMD garante compatibilidade com as placas X470 e B450. As X370 e B350 vão depender da vontade dos fabricantes das placas para incluírem suporte e as A320 infelizmente não serão compatíveis.

Há também um detalhe importante: as placas X570 não serão compatíveis com os Ryzen de primeira geração (os Ryzen “G” com vídeo integrado serão suportados, vide os comentários). Isto é importante destacar àqueles que quiserem trocar primeiro a placa-mãe e depois o processador. Mais detalhes aqui.

Radeon RX 5000

Finalmente as primeiras GPUs Navi foram apresentadas, trazendo consigo a nova microarquitetura RDNA, que promete trazer ganhos de até 1,25X na mesma frequência de operação em relação à última especificação da microarquitetura GCN.

A AMD mencionou oficialmente apenas a Radeon RX 5700, que trará memória GDDR6 e interface PCIE 4.0, tendo como alvo a GeForce RTX 2070. A sua litografia também será de 7 nm. Até o momento não há mais informações oficiais sobre as novas Radeon.


Pessoalmente falando, o lançamento que mais chamou-me a atenção foi o Ryzen 9 – para mim, threads são vida! Pelo preço de 499 trumps estimo que ele chegará aqui em torno dos 2500 bolsonaros, ou seja, na mesma faixa de preço do Core i9 9900K. A Intel novamente está em apuros! O fato de algumas placas-mãe AM4 atuais suportarem os novos Ryzen também é um bom diferencial. Já em termos de custo x benefício, em minha opinião o Ryzen 7 3700X é o grande destaque.

O negócio é ir preparando o cartão de crédito... 😈


Comentários

  1. Quem sabe chegou a hora de aposentar o meu veterano Core2Duo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até mesmo pois vai chover Ryzen usado de primeira e segunda geração no mercado. Pode ser uma boa opção, só tem que fugir dos espertalhões do ML que cobram preço de hardware novo.

      Excluir
  2. A Intel aproveitou a deixa e lançou a décima geração dela. O efeito Ryzen está se fazendo sentir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E dá para perceber que foi um lançamento feito às pressas: somente chips para notebooks foram apresentados com litografia de 10 nm apenas, com o PCH ainda em 14 nm. E só para o ano que vem!

      Será que estamos voltado à época do Athlon 64 X Pentium 4?

      Excluir
  3. A AMD retificou a declaração original sobre do chipset X570 e agora ela indica que as atuais APUs são suportadas. https://www.techspot.com/news/80288-amd-x570-chipset-wont-support-first-generation-ryzen.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pela contribuição. Texto atualizado.

      Excluir

Postar um comentário