Afinal de contas, as prequels do Star Wars são tão ruins assim?

Desde o lançamento da primeira prequel A Ameaça Fantasma em 1999, todo mundo detonou os filmes de forma impiedosa. Mas eles são tão ruins assim? Vejam a minha opinião como grande fã da série Star Wars desde a mais tenra idade.


Aviso de spoiler: aqui revelo algumas informações sobre a trama que podem prejudicar a experiência dos que ainda não viram os filmes. Aviso dado! 😉

O que eu não gostei

Vou começar pelo que foi mais falado: os pontos negativos dos três filmes, que compreendem o já citado a Ameaça Fantasma de 1999 (Episódio I), o Ataque dos Clones de 2002 (II) e a Vingança dos Sith de 2005 (III).

Anakin Skywalker/Darth Vader

Darth Vader é um dos mais icônicos vilões do cinema, e a história do seu surgimento sempre foi um objeto de grande curiosidade para os apreciadores da série clássica, principalmente depois do emblemático O Império Contra-Ataca de 1980. Porém as três prequels foram patéticas em revelar as origens desse complexo personagem: Anakin Skywalker é mostrado como uma criança chata, um adolescente chato e um jovem chato, e que apenas junta-se ao lado negro da força por medo de perder a namoradinha (a rainha Padmé). 

Esperava-se bem mais do temível Darth Vader. Junte-se isto à péssima interpretação do ator Hayden Christensen nos Episódios II e III, e a shit está completa. Talvez, se as prequels tivessem sido rodadas antes da era do politicamente correto, as origens do lendário Darth Vader poderiam ser bem mais sombrias.

Hayden Christensen fez um péssimo trabalho como Anakin Skywalker

Personagens descartáveis

Há muitos personagens nos três filmes completamente desnecessários, mas o pior disparado é o mala sem alça do Jar Jar. Ele tenta ser o alívio cômico e exercer a função que nos filmes clássicos foi do androide C-3PO, obviamente que sem o mesmo sucesso. O próprio George Lucas também deve ter ficado de saco cheio dele, tanto que ele mal aparece nos Episódios II e III, um grande alívio!

Jar Jar Binks provavelmente é o personagem mais detestado de todo o universo Star Wars

O burocrático conselho Jedi

O lendário conselho Jedi é mostrado como se fosse formado por executivos burocratas que saem de uma reunião para entrar em outra, e sem decidirem nada do jeito devido. É também difícil imaginar que Jedis poderosíssimos como o Mestre Yoda ou mesmo o Mace Windu pudessem ser tão facilmente enganados pelos Sith, que passaram a mão na bunda deles sem os mesmos nem perceberem.

Uma típica reunião dos executivos Jedi

Um Sith mal aproveitado

Se fosse melhor explorado, o personagem do Conde Dooku/Darth Tyranus teria tudo para exercer o papel que foi do Darth Vader nos filmes clássicos. Ele foi primorosamente interpretado pelo veterano ator Christopher Lee (infelizmente falecido em 2015), pena que teve pouco espaço nos filmes.

O Conde Dooku (Dookan na versão HuehueBr, por motivos óbvios)

Um Sith irrelevante

Principal antagonista do Episódio I, o Darth Maul é o mais inexpressivo e sem graça Sith de toda a história da distante galáxia, tanto que fiquei duplamente feliz quando ele leva um pau do Obi-Wan no final do filme: pela morte do vilão, e melhor ainda que ele não mais voltará, para a nossa alegria! Bem que o George Lucas poderia ter descartado esse personagem e destacado mais o Conde Dooku.

O Darth Sem Graça

Um casal forçado

Certamente muitos fãs esperavam mais dos pais do Luke e da Leia. O casal formado pelo Anakin e pela Padmé (interpretada pela bela e talentosa Natalie Portman) convence tanto e tem a mesma empatia do casal principal da novela das sete. Não rola “aquela química”, mais por culpa da péssima atuação do Hayden Christensen.

Não, não é o casal principal da novela das sete

O que eu gostei

Mas nem tudo foi ruim nas prequels. Há umas paradas bem bacanas!

Obi-Wan Kenobi

Este importante Jedi foi muito bem desenvolvido ao longo dos três filmes e é de longe o melhor personagem das prequels, com grande atuação do Ewan McGregor. Não o culpo pelo fato do Anakin ter ido para o lado negro da força: não devia ser fácil aguentar aquele cara chato!

O melhor personagem das prequels

Senador Palpatine/Darth Sidious

Se a construção do Darth Vader foi mal pensada e executada, a do sinistro Imperador foi feita à perfeição. Assim como um típico político brasileiro, ele vai comendo pelas beiradas no Senado até dar o “golpe” (palavra tão em moda ultimamente) e assumir o poder, criando assim o Império Galáctico. Ótima atuação do ator Ian McDiarmid.

O Senador Palpatine certamente é ídolo de muitos políticos brasileiros

Os confrontos finais

A luta entre o Obi-Wan e o Anakin, e a do Mestre Yoda contra o Imperador mostradas no terceiro ato do Episódio III são de perder o fôlego e um exemplo do uso de CGIs próximo da perfeição. Realmente George Lucas tem razão: seria impossível ter rodado estas sequencias nos filmes clássicos, limitados pela tecnologia da época e por um orçamento proporcionalmente muito menor. Eu diria que este terceiro ato, por si só, é quase capaz de redimir todas as três prequels.

Uma briga de sabre de luz no elevador

Para finalizar, mostro a minha caixa com os Blu-Rays dois seis primeiros filmes:




E vocês, o que acham das prequels do Star Wars?

Comentários