The Crown (Primeira e segunda temporadas)

A série The Crown mostra o reinado da Rainha Elizabeth II, com uma riqueza de detalhes que a própria Rainha definiu como sendo muito próxima da realidade. É simplesmente uma obra-prima.


Devo confessar que, por total ignorância minha, sempre achei que a Rainha Elizabeth II era uma velhinha simpática que vivia reclusa no seu palácio, sendo uma figura meramente decorativa do governo britânico. Felizmente a série The Crown, que consiste em duas temporadas com dez episódios cada, mudou completamente a percepção que eu tinha dela.

A série começa em 1952, na ascensão ao trono com apenas 25 anos de Elizabeth após o falecimento do seu pai, o Rei George VI. Ser Rei ou Rainha deve ser muito bom, não é? Depende do ponto de vista. Apesar dos ilimitados recursos e de contar com a devoção de uma nação inteira, em muitos momentos é mostrado que na vida da Rainha há bastante solidão, decepções e a impossibilidade de mostrar a sua personalidade, em face às inúmeras tradições que regem a vida da Família Real. A Rainha deve sempre ser um exemplo de comportamento para a nação.

A Rainha Elizabeth II (Claire Foy) e o Príncipe Philip (Matt Smith)

Ao invés de mostrar uma visão mais romantizada da clássica e atemporal monarquia britânica, como muitos poderiam esperar, a produção não se furta a descrever também o lado mais espinhoso e os muitos conflitos (e escândalos) envolvendo membros da Família Real. Como as infidelidades do Príncipe Philip, esposo da Rainha, a personalidade subversiva da sua irmã mais nova, a Princesa Margaret, além dos tortuosos e obscuros bastidores do poder e as muitas polêmicas envolvendo o seu tio, o antigo Rei Edward VIII que abdicou do trono pelo motivo que todos nós sabemos.

O grande destaque é o pulso firme da Rainha durante os muitos conflitos que precisou enfrentar, como as crises do canal de Suez no Egito e de Gana (países que flertavam com os soviéticos), além da transformação do Império Britânico na Commonwealth, algo que a ela soube administrar com maestria. Lembrem-se que neste período a Guerra Fria estava no auge, com o mundo incrivelmente polarizado entre o ocidente e o oriente, o que tornava tudo muito mais difícil.

A Princesa Margaret (Vanessa Kirby)

Apesar da sua pouca idade quando ascendeu ao trono, Elizabeth também demonstrou ter grande maturidade e uma moral inabalável, não se eximindo de dar merecidos “puxões de orelha” com enorme classe e dignidade mesmo em políticos experientes como o grande Winston Churchill, bem como nos seus sucessores no cargo de primeiro-ministro, Anthony Eden e Harold Macmillan, além de no seu tio, o antigo Rei.

Quanto aos aspectos técnicos, The Crown é uma produção irretocável. Os cenários, a iluminação, a fotografia e os figurinos são espetaculares e beiram a perfeição artística, com o ambiente muitas vezes bucólico do Reino Unido retratado com extremo bom gosto e fidelidade. O elenco também é um grande destaque: além de serem fisicamente muito semelhantes, as interpretações são de perder o fôlego, como a da atriz Claire Foy como a Rainha e do ator John Arthur Lithgow como Winston Churchill.

O grande Winston Churchill (John Arthur Lithgow)

Enfim, eu sou suspeito para falar pois sempre gostei da Inglaterra, pelos seus grupos musicais e também pelo grande Winston Churchill, além do estilo de vida dos cidadãos ingleses em geral, muito disciplinados e discretos. Mas a série The Crown aumentou ainda mais a minha admiração pelos caras e principalmente pela Rainha, que mostrou não ser uma mera figurante como os detratores da monarquia vivem a repetir feito papagaios de pirata, mas sim uma mulher firme, decidida e encantadora. Realmente o Príncipe Philip é o homem mais sortudo da Terra.

Sem dúvida é uma produção que eu recomendo a todos, de forma irrestrita. As duas primeiras temporadas estão disponíveis na Netflix e a terceira estreará em 2019. Aguardando ansiosamente.


Comentários

  1. Foi só começar a pagar o Netflix e nunca mais tive tempo de sentar em frente à tv! 😕
    Bem que gostaria de assistir essa serie, parece ser muito boa.

    ResponderExcluir

Postar um comentário