A deprimente geração mimimi

Vocês acreditam que o regime do politicamente correto conseguiu alterar termos de uma linguagem de programação? É de cair o fiofó da bunda!


Pois é. Triste, mas verdadeiro! Um "desenvolvedor" que não tem mais o que fazer pediu para que a comunidade que cuida da linguagem Python removesse os termos Master/Slave, alegando que os mesmos remetem à escravidão de povos. Eis a justificativa do cidadão:

“Por questões de diversidade, seria legal tentar evitar a terminologia ‘master’ e ‘slave’, que pode ser associada à escravidão”

Este deve ser o teclado que o cidadão usa

O criador do Python, Guido van Rossum, saiu da aposentadoria somente para resolver a questão e decidiu que a partir da versão 3.8 da linguagem o termo “master process” será alterado para “parent process” (processo primário), enquanto que o “slave” será o “worker” ou “helper” (operário e ajudante, respectivamente). Puta que o pariu. Se fosse eu, mandava o sujeito ir carpir um lote (quando eu era pequeno o meu pai me dava uma enxada e mandava eu carpir o quintal da nossa casa) e parar de encher o saco.

Se continuar assim, daqui a pouco algum grupo religioso pedirá pelo fim do termo “daemon” (demônio em latim), usado nos sistemas operacionais Unix-like, ou ainda, que feministas peçam o fim da expressão “processo pai” por considerar paternalista e machista.

A verdade, meus amigos, é que vivemos em um mundo cada vez mais insosso comandado por ruidosas minorias, capazes até de tirar as grid girls da F1 e de fazer uma banda censurar a própria música. É como uma piadinha que recebi pelo zapzap:

“Em churrascaria tem salada. Em restaurante vegano não tem carne.
Quem são os intolerantes?”

E fim de papo, como diria o Raul.

Comentários

  1. Puta que pariu, mas que coisa imbecil. Não tem mais onde achar chifre em cabeça de cavalos.

    ResponderExcluir
  2. Puta que pariu!!!
    É brincadeira!!!!
    Meu!!! Toma cuidado pra não destruirem tua placa Voodoo!!!
    Ou uma trident!!!
    Mas falando serio, da vontade de quebrar os narizes desse bando de idiotas. Com certeza eles não tem nada de util pra fazer na vida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, geralmente eles tem tempo de sobra para pensarem em coisas assim.

      No ano passado, quando o Lula veio prestar o primeiro depoimento ao juiz Sérgio Moro, os acampamentos do MST e de outros "movimentos sociais" foram montados do outro lado da rua onde fica a empresa que trabalho. Era sair da empresa e dar de cara com eles.

      Impressionava ver como tem tanta gente desocupada neste país. E certamente a maioria delas não estava ali por qualquer tipo de ideologia política ou preferência partidária, mas sim para ganharem o seu "pão com mortadela" do dia e para "passearem por Curitiba".

      Eram tão miseráveis que dava pena. Raiva mesmo tenho dos espertalhões políticos que se aproveitam da vulnerabilidade desse povo para usá-los como massa de manobra. Enquanto eles sentiam o frio de Curitiba nas rudes barracas, os líderes partidários estavam hospedados nos melhores hotéis da cidade.

      Excluir
    2. E Michael, o que você viu aí em Curitiba é um exemplo de como o esquema macabro e imundo funciona.
      O método que o comunismo usa para dominar um país, é convertendo a classe mais pobre e ignorante. Para isso, primeiramente fazem uma verdadeira lavagem cerebral nos professores, religiosos, acordos com políticos, criam pseudo-intelectuais, quebram a estrutura familiar, a religião, os bons costumes, a cultura, fazendo com que as pessoas percam os valores.
      Outro passo importante, é levar a população à pobreza com promessa de dias melhores, dando com uma mão e tirando com outra.
      Daí em diante é fácil, e passam a ter o controle fazendo o que bem entenderem com a população.
      Infelizmente, quem entra nessa onda, dificilmente irá enxergar o lado de fora, e o esquema é tão bem feito, que coisas que vemos claramente serem absurdas, são defendidas até a morte por essas pessoas.
      A consequência disso é o extremo empobrecimento da população, limitação acentuada da inteligência e da forma de pensar, destruição da cultura, e um governo perpetuo porque passou a ser fácil dominar.
      Realmente é triste, mas por outro lado para nós felizmente, podemos enxergar isso com clareza.

      Excluir
    3. "Infelizmente, quem entra nessa onda, dificilmente irá enxergar o lado de fora, e o esquema é tão bem feito, que coisas que vemos claramente serem absurdas, são defendidas até a morte por essas pessoas"

      Perfeito.

      Um exemplo disso foi com a reforma da CLT. Também detesto o Temer, mas a CLT brasileira é uma coisa arcaica, que limita de forma severa a competitividade das empresas (principalmente contra as estrangeiras) e a possibilidade de gerar mais empregos.

      Instigados pelos sindicatos (temerosos de perderem a boquinha da contribuição sindical compulsória) as massas de manobra fizeram um grande barulho. Não conseguem enxergar o óbvio: não adianta nada ter inúmeros direitos e benefícios "garantidos pela CLT" e trabalharem em sub-empregos informais.

      Excluir
    4. Veja que exemplo interessante de doutrinação bem sucedida, quando alguém defende até a morte seus conceitos de estrutura familiar, religião, bons costumes, cultura e valores.

      Acho que o que falta hoje em nossa sociedade é uma coisinha chamada "empatia". O que o Michael acha que é "mimimi" pode ser extremamente ofensivo para alguém. Mas Michael não está disposto a sair do lugar onde está e se colocar no lugar de quem acha isso ofensivo. É muito mais fácil taxar de "mimimi".

      Da mesma forma, é muito mais fácil taxar quem tem pontos de vista divergentes de ignorante, doutrinado, ou seja lá o que for. Pouquíssimas pessoas estão dispostas a sentar e procurar na ciência o embasamento para os seus pontos de vista. Quem fizer isso, vai ver que os conceitos de estrutura familiar, religião, bons costumes, cultura e valores mudam de acordo com a época, com o contexto histórico, com o local e a sociedade. Ou seja, não existe verdade. O que é "mimimi" para o Michael talvez não seja no Japão, assim como não será em lugar nenhum no mundo daqui a um século.

      Minha queixa maior da sociedade atual é o fechamento individual no casulo da "verdade" e do "certo". Nossa evolução perde enquanto estamos fechados no casulo de nossos conceitos.

      Excluir
    5. Um exemplo bem interessante de como os conceitos e verdades são muito peculiares no tempo e no local:

      O capitalismo como conhecemos está fadado a mudar radicalmente com a automatização dos serviços e da produção. A inteligência artificial revolucionará a manutenção de máquinas e equipamentos, bem como o desenvolvimento de novos produtos e serviços. É o que a ciência diz.

      Como serão as relações econômicas geradas a partir dessa nova economia? O conceito de "emprego" e "trabalho" como conhecemos hoje irá se perpetuar?

      Alguns cientistas estão preocupados com isso, e ganham força idéias de taxação de meios de produção automatizados (vide argumentos de Bill Gates nesse sentido) e distribuição de renda mínima para que os cidadãos tenha acesso aos bens e serviços.

      Provavelmente, o capitalismo que vivemos hoje como "o certo" e "a verdade" será no futuro uma etapa da história humana, assim como foi o feudalismo. O futuro dos países mais tecnologicamente avançados será provavelmente muito mais próximo do comunismo do que do capitalismo que vivenciamos hoje.

      "Meu Deus, os comunistas estão voltando!", bradará um velho quando esses dias se aproximarem.

      Deixemos a história mostrar.

      Excluir
    6. Identificado mais um integrante da geração Mimimi. É uma viagem essa geração nutella!

      Excluir
  3. Não entendo que seja um fenômeno novo. Grandes revoluções sociais e culturais foram realizadas quando minorias ruidosas resolveram enfrentar o senso comum. Vide o estabelecimento das primeiras regras trabalhistas na Inglaterra após a primeira revolução industrial, o fim da escravidão no Brasil, a conquista do voto feminino, a Declaração Universal dos Direitos Humanos, a conquista do divórcio, o fim do Apartheid.

    Todas essas coisas nos parecem muito naturais nos dias de hoje, mas causaram grande resistência social durante décadas (ou mesmo séculos) antes que fossem realmente implementadas.

    Tudo que você julga ser "mimimi" hoje, para as próximas gerações serão noções éticas tão elementares quanto 2+2=4, e a nossa geração será taxada de bárbara e ignorante por ter resistido a elas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, quando essas próximas gerações chegarem, se Deus quiser estarei morto há muito tempo! rs

      Excluir
  4. É amigos, a historia (do Brasil, o país do futuro) esta se reescrevendo e realmente o futuro deve nos reservar grandes surpresas e provavelmente estaremos vivos para vê-las.
    Coisas que estávamos acostumados no passado não muito distante, hoje já não mais as vemos.
    Lembro me que existia um grande preconceito em relação aos homossexuais, e se dizia “homem é homem, mulher é mulher!”, e como visionário, vejo em um futuro não muito distante, as pessoas que mesmo sendo heterossexuais (me desculpem a palavra) serão valorizadas pela sociedade por manterem relações homossexuais (no Brasil, o pais do futuro), principalmente se for entre pessoas de cor diversa (brancos com afro-descendentes)
    Antigamente, chamavam as pessoas conforme sua cor, de preto, branco, mulato, amarelo, etc (desculpem me as palavras), hoje de branco amarelo e afro-descendente. Eu como visionário vejo um futuro promissor se Deus quiser, e espero estar vivo para ver, as pessoas não chamarão mais pessoas da minha raça de branco, algo que acho pejorativo, pois não sou um papel A4, EXISTE ALGUMA COR EM MINHA PELE!!!, não sou uma lagartixa!!!
    Lembro-me que antes da era putânica do Brasil, época em que estudava no colégio e faculdade, tinha vários amigo de cor, e realmente, para todos nós, nem pensávamos na palavra preconceito. Chamávamos de preto de branco, éramos amigos, e realmente éramos felizes.
    Também como vidente, vejo um pais onde todos serão iguais economicamente. E isso já está acontecendo! Veja a quantidade de favelas! O Brasil do futuro, da era putânica, será uma grande favela. Mas não devem ser chamadas assim. A pobreza no Brasil esta sendo valorizada, inclusive mudaram o nome de favela para comunidade. As favelas aparecem com frequência nas novelas, ao som da musica do futuro, o funk. o Hino Nacional é coisa do passado.
    Em relação à tecnologia, as pilhas não terão mais o polo positivo e negativo, tomada macho e femea (no Brasil, o pais do futuro), e por aí vai...
    Bem amigos, realmente a historia está sempre se reescrevendo,e eu, que fiquei de saco cheio, sem querer ofender ninguém, digo que “Graças a Deus eu não mora mais nessa M#### de país (o país do futuro)”. Aqui, no país do primeiro mundo, as pessoas nem sabem onde fica esse tal de país do futuro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ...e pelo menos aqui posso dizer sem medo: minha bebê é uma menina!

      Excluir
    2. Amigo Eduardo, entendo que algumas das suas previsões são um pouco descabidas.

      O futuro da sexualidade, segundo os especialistas, é que as relações acontecem entre humanos, independentemente do sexo biológico, e isso sequer será discutido. Os adolescentes experimentarão vários tipos de relação antes de estabeleceram qual o tipo com o qual melhor se adequam, e isso não será tema de debates e discriminação.

      As denominações de cor também estão com os dias contados. Em menos de um século, a miscigenação gerará uma raça significativamente homogênea no que diz respeito às características físicas. Mas não acho muito certo ignorar os fatos científicos que comprovam a devastadora diferença de oportunidades entre raças que existe atualmente, e também sobre os fatores que contribuem para que tais diferenças existam.

      Em relação às diferenças econômicas, elas fazem parte de uma história perversa que vem se perpetuando há alguns séculos, e que certamente é bem diferente da história do local onde vc vive atualmente. O desafio para nós, que aqui estamos, é entender o porquê dessa situação e trabalhar de forma pragmática para atacar as causas raiz, sem buscar salvadores da pátria nem bravateiros de plantão. Penso que a sociedade civil organizada é o melhor caminho para isso.

      Quando ao gosto musical de cada um, lembremos que se você quer que um jovem ouça Mozart, é preciso que ele abra a janela e veja Viena. Enquanto ele abrir a janela e ver favela, é isso q ele vai compor e escutar.

      Em à sua referência ao patriotismo e seus símbolos (hino, bandeira, etc.), acho que não passa de doutrinação ideológica das mais perversas, não diferente das alardeadas pelos professores comunistas. Somos cidadãos do mundo, devemos respeitar a terra na qual nascemos tanto quanto a terra dos demais. Muitos conflitos internacionais seriam evitados a partir da adoção desse simples princípio.

      Abraço!

      Excluir
    3. Pois é Eduardo, e dependendo de quem vencer as eleições, tudo ainda pode piorar por aqui!

      Excluir
    4. Eu me lembrei agora de um filme, não sei se voces assistiram, não me lembro o nome, mas era sobre um mundo onde as pessoas viviam numa sociedade perfeita, todos pensavam igual, todos tinham a mesma cara, os objetos dentro de casa eram exatamente os mesmos assim como as casas, os empregos eram definidos pelo sistema que gerenciava a sociedade, com os salarios identicos, pois a inteligência e os conhecimentos tambem eram identicos, enfim, tudo exatamente igual, até os desejos intimos eram os mesmos, e todas as pessoas morriam quando atingiam a mesma idade limite.
      Poxa, penso que deveria ser um lugar maravilhoso para se viver!!! Quanta aventura! Quanta emoção! E principalmente, que sociedade feliz! Voces não acham???

      Excluir
    5. Desculpem me, Fui.
      Tenho umas coisas importantes pra fazer hoje.

      Excluir
    6. Uma sociedade de igualdade é inviável, pela própria natureza humana. Mas devemos buscar uma sociedade na qual todas as crianças tenham a oportunidade de se desenvolver sem barreiras econômicas e sociais, cada uma à sua maneira, e que ninguém seja desprovido do atendimento de suas necessidades mais elementares. A verdadeira meritocracia e o verdadeiro liberalismo não podem existir sem essas premissas.

      Excluir

Postar um comentário