Efeito Ryzen: a AMD finalmente tirou o pé da lama

O processador Ryzen e os seus derivados realmente podem ser considerados um marco para a AMD. Além de terem propiciado a volta da competitividade em um mercado que estava completamente estagnado, também andam fazendo muito bem ao caixa da empresa.


Os resultados do primeiro trimestre de 2018 foram excelentes, ainda mais se comparados aos resultados recentes da AMD: receita bruta de 1,65 bilhão (40% a mais que o mesmo período do ano passado e 23% superior ao último trimestre de 2017), com 120 milhões de lucro operacional e 81 milhões de lucro líquido. Todos os valores estão em trumps.

Como era esperado, o segmento que mais contribuiu para os resultados foi o Computing and Graphics, com receita de 1,12 bilhão, nada menos do que 95% a mais do que o mesmo período de 2017. Wow!

A presidente da AMD, Lisa Su, mantêm o otimismo como não podia deixar de ser (minha tradução):

"A aceitação dos nossos produtos de alta performance pelos mercados de PCs, de gamers e de datacenters continua acelerado. Estamos animados com o nosso roadmap e focados em manter o aumento das receitas e dos lucros"

Realmente é muito bom ver a AMD forte novamente, pelo bem do próprio mercado de hardware. O Ryzen está fazendo a sua parte no mercado de CPUs, resta apenas que as Vega façam o mesmo no de GPUs.

Informações: Guru 3D.

Comentários

  1. Excelente notícia. Admiro muito a persistência da AMD desde sempre. E a concorrência sempre é boa para fomentar melhorias tecnológicas. Deveríamos ter inclusive mais players significativos nesse mercado, além da AMD e da Intel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida que mais players nunca é demais. Bons tempos onde tínhamos também a Cyrix no mercado x86.

      Uma AMD forte é bom para todo mundo, inclusive para a Intel e a Nvidia. Sem a AMD elas teriam que lidar com a Lei Sherman nos EUA, além das leis antitruste da União Européia.

      Excluir
  2. Eu achava que a AMD estaria mais folgada há tempos com os chips Jaguar que equipam os PS4/Pro e XOne/S-X.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os Jaguar não eram suficientes para cobrir os prejuízos das outras áreas, foi somente com o Ryzen no ano passado que a AMD passou a dar algum lucro depois de mais de uma década dando prejuízo.

      E pensar que a divisão de chips ARM da AMD foi comprada pela Qualcomm... imagine se hoje tivéssemos os AMD Snapdragon?

      Excluir

Postar um comentário