Quer ficar rico com YouTube e blogs? Esqueça!

Estudo feito pela universidade alemã Offenburg mostra o que muitos de nós já sabíamos: que provavelmente ninguém vai ficar rico no YouTube. O mesmo estudo também pode ser aplicado perfeitamente a blogs.


Conforme o supracitado estudo, apenas cerca de 3% dos canais do YouTube conseguem mais de 1,4 milhão de views ao mês – estes são o topo da pirâmide, a raça superior do YT. Pois bem, dentre estes canais, a renda média anual é de 16.800 trumps, que pode parecer muito para nós porém fica bem pouco acima da linha da pobreza americana que é de US$ 12.140 anuais.

Outra estatística cruel: 96,5% dos youtubers jamais conseguirão ultrapassar esta linha. Ponto. Até mesmo pois os canais mais vistos têm chances exponencialmente maiores de conseguirem patrocinadores, e nisto o YT tem uma parcela de culpa: ultimamente seus algoritmos se focam em promover os vídeos mais assistidos em vez de melhorar as buscas, o que poderia favorecer a descoberta de talentos anônimos.

Mas não existe nada que não possa piorar. No início de fevereiro o YT mudou as regras de monetização e agora somente canais com ao menos mil inscritos e 4.000 horas de vídeos assistidos são elegíveis para entrar no programa. Wow!

Quanto aos blogs, em minha opinião o cenário é ainda pior. Apesar dos seus problemas o YT é uma plataforma mainstream e ainda está na crista da onda, enquanto que os blogs têm muito mais idade nas costas e sofrem uma forte concorrência das redes sociais como o Facebook. De fato os blogs ainda não morreram devido a alguns poucos heróis da resistência.

Os blogs ainda não estão mortos... quem curte Monty Phyton entenderá

Pegando um gancho no estudo alemão posso usar o meu exemplo: o que eu recebo de monetização anualmente fica bem abaixo da linha da pobreza brasileira, que em dezembro de 2017 foi calculada pelo IBGE em 1.604,40 temeres-picaretas anuais. Sim, não tenho vergonha nenhuma em compartilhar isto, ao contrário de muitos youtubers cujo ego é bem maior que os ganhos.

Por outro lado, somente os que forem realmente apaixonados pelo que fazem continuarão, sejam youtubers ou blogueiros. A quantidade poderá diminuir mas a tendência é que a qualidade melhore – quem já viu a lista de vídeos mais assistidos do YT, um verdadeiro show dos horrores, sabe o que estou falando. Quanto aos blogs, esta depuração já está em curso há muitos anos.

Fonte: Bloomberg.

Comentários

  1. Adoro o blog e estou sempre por aqui. Não tenha dúvida, quem abre o blog uma vez volta sempre e recomenda! Att. André.

    ResponderExcluir
  2. Eu também gosto muito desse blog.
    Começou com um assunto que gosto muito, computadores antigos, e agora diversificou mas sem perder a qualidade, muito pelo contrario, sempre um bom assunto.

    ResponderExcluir

Postar um comentário