Windows eXPired (10) – O maior porta-aviões da Royal Navy utiliza Windows XP

O HMS Queen Elizabeth é um monstro capaz de carregar até 40 aeronaves e uma tripulação de 1600 pessoas. Porém a sua maior vulnerabilidade pode estar no software, mais precisamente no sistema operacional.


A um custo de nada menos do que 3,5 bilhões de libras esterlinas, o Queen Elizabeth envolveu 10 mil pessoas na sua construção que levou oito anos. Durante um passeio de demonstração, telas que denunciavam o uso do Windows XP não passaram despercebidas aos cerca de 700 participantes.

O HMS Queen Elizabeth

Conforme o Tenente-Comandante Nick Leeson, o HMS Queen Elizabeth tem plenas capacidades de se defender de invasores e a sua tripulação inclui uma equipe de especialistas em segurança digital. Particularmente fiquei preocupado com tal afirmação: o excesso de confiança muitas vezes é o primeiro passo rumo ao desastre.

Passo longe de ser um engenheiro aeronáutico ou afim, mas em 2009, quando a construção (que tomou oito anos) do porta-aviões começou, o Windows XP já estava na curva descendente da sua vida útil e, sinceramente, jamais foi um exemplo de sistema operacional seguro. Dado o custo envolvido, será que não poderiam ter sido utilizadas outras alternativas de sistema operacional?

Convém lembrar que o suporte ao Windows XP encerrou-se no dia 8 de abril de 2014, muito embora a Microsoft tenha concedido uma extensão de suporte a algumas empresas e governos, como os da China, Holanda e justamente o da Inglaterra. Resta saber por quanto tempo isto vai durar, e o principal, a que custo? A Microsoft não costuma fazer caridade. Em vez de gastar elevadas somas para manter o suporte de um sistema operacional lançado em 2001, não seria melhor investir na modernização do parque de softwares?

Quando penso em porta-aviões, a primeira imagem que me vem à cabeça são as mortíferas batalhas entre os americanos e japoneses na Segunda Guerra Mundial. Imaginar que um porta-aviões da classe do HMS Queen Elizabeth possa ser incapacitado por um russo ou chinês (apenas para exemplificar) em uma garagem é algo chocante. E em tempos do WannaCry, Petya e companhia, isto deixou de ser ficção científica.

Notícia: The Guardian.

Anterior:

Veja também:

Comentários

  1. O maior trunfo do Windows XP é ele ser imortal.

    ResponderExcluir
  2. Windows XP é imortal, quando pensamos que ele estava morto, eis que o mesmo ressurge do além.

    ResponderExcluir
  3. Não duvido que daqui a uns 50 anos ainda vai ter Windows XP em uso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, sem dúvida! Windows XP é como o Munn-Ra, o de vida eterna!

      Excluir

Postar um comentário