Unboxing e primeiras impressões: Processador AMD FX-6300

Retomando o tema abordado inicialmente na avaliação da placa mãe Gigabyte 78LMT-S2P, desta vez irei abordar as primeiras impressões que venho tendo a respeito do processador AMD FX-6300, de seis núcleos.

Conforme expliquei no post sobre a placa-mãe, este processador FX foi escolhido para equipar um equipamento simples para jogos, focado no custo x benefício e com a perspectiva de que as engines dos jogos utilizarão cada vez mais núcleos de processamento.



Arquitetura Bulldozer/Piledriver

A partir dos processadores da série FX lançados em 2011, a AMD adotou a arquitetura Bulldozer. Nesta arquitetura interna, o chip é organizado em grandes estruturas denominadas módulos. Cada módulo contém dois núcleos de processamento, que compartilham entre si a unidade de decodificação de instruções, a unidade de ponto flutuante e o cache de memória L2. Segundo a AMD, esta organização permite aumentar a eficiência energética do processador e reduzir os custos, visto que em um processador tradicional muitas destas estruturas ficam ociosas em grande parte do tempo. Possui controlador de memória DDR3 e utiliza o soquete AM3+.

A arquitetura Piledriver é uma evolução incremental da Bulldozer, obtendo cerca de 15% de ganho de performance com um mesmo consumo elétrico. Este ganho foi obtido basicamente com aperfeiçoamentos no circuito de previsão de desvio e no agendador das unidades de números inteiros e de ponto flutuante, além de possuir alguns refinamentos que permitem atingir maiores frequências de operação.

O processador FX-6300 utiliza a arquitetura Piledriver, possuindo 3 módulos. Como cada módulo tem internamente dois núcleos, ele conta com 6 unidades de processamento. 

Processador AMD FX-6300 na sua embalagem original

Primeiras impressões

A configuração completa é a seguinte:

  • Processador AMD FX-6300 @ 4,2 GHz;
  • Placa mãe Gigabyte 78LMT-S2P (chipset AMD 760G + SB 710);
  • 2x 2 GB de memória RAM DDR3-1333 Kingston Value no modo dual channel, totalizando 4 GB;
  • Placa de vídeo NVIDIA GeForce GTX 650 Ti 2 GB, modelo EVGA SSC;
  • SSD Corsair F115 (110 GB, SATA2);
  • Fonte Seventeam modelo 500P-CG (500 W);
  • Monitor Samsung LCD 22” na resolução 1680 X 1050;
  • Sistema Operacional Microsoft Windows 7 Ultimate SP1 x64.

Nesta configuração o FX se mostrou bastante rápido em operação no Windows 7. Tem-se a sensação de fluidez no equipamento, que responde com bastante rapidez aos comandos, com boa resposta também em jogos, sem nenhum tipo de lentidão proveniente do processador.

O 6300 possui clock padrão de 3,5 GHz, e foi feito um leve overclock para 4,2 GHz apenas alterando o multiplicador para 21 na BIOS (21 X 200), sem alterações em quaisquer tensões - não aumentei mais o clock devido ao fato do processador estar com o cooler padrão da AMD. Nestes últimos dias tem feito uma temperatura bastante elevada, atípica em Curitiba (na casa dos 34 ºC), desta forma foi providenciado a instalação de uma ventoinha de 120 mm na parte frontal do gabinete (soprando ar frio para dentro) e duas de 80 mm na parte traseira como exaustores, eliminando desta forma possíveis problemas de aquecimento.

O índice de desempenho do Windows 7 para o FX-6300 rodando a 4,2 GHz foi de 7,6. Para efeito de comparação, o Core i7 2600K @ 4,5 GHz da minha máquina principal obtém índice de 7,8. Em um futuro post colocarei os resultados de testes mais precisos.

Pontos positivos:
  • Preço;
  • Seis núcleos de processamento;
  • Facilidade de overclock (multiplicador desbloqueado), mesmo em placas mãe de entrada e com qualquer chipset.

Pontos negativos:
  • Conforme observado em diversos comparativos, possui IPC (Instruções Por Ciclo) inferior aos modelos equivalentes da Intel, o que influencia nas aplicações que utilizam uma única thread.

Conclusão

Os processadores AMD devem ser avaliados levando em consideração o seu preço. Pelo valor de um simples Core i3 de entrada, leva-se para casa um processador de seis núcleos e grande facilidade de overclock. Desta forma, possui um custo x benefício extremamente favorável para um PC de jogos, entretenimento e uso geral. No caso dos jogos, o valor que você economiza comprando este processador pode ser usado para a aquisição de uma melhor placa de vídeo, o que é muito mais negócio.


Para finalizar, fiquem com o vídeo que fiz do unboxing do FX-6300. Um forte abraço!


Comentários

  1. Tenho medo do consumo do FX-6300. Sem overclock, esquenta demais com o cooler box?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com ou sem overclock ele é razoavelmente esquentadinho com o cooler box. Neste caso recomendo fortemente um gabinete bem ventilado e com um correto fluxo de ar.

      Excluir
    2. Pois é. Estou achando que os i3-41xx são bem mais negócio para praticamente todas as aplicações (até jogos?). São *muito* mais frios e o IPC é disparado bem maior.

      Excluir
    3. Realmente é difícil dizer. Em diversos fóruns, muitos dizem que os FX-6300/8300 podem ser melhores do que os i3 em jogos portados dos consoles, visto que o PS4/XOne utilizam processadores AMD de oito núcleos similares aos Piledriver.

      Excluir
    4. Os Jaguar são mais fracos que os Piledriver. A AMD pegou o que tinha de baixo consumo (Bobcat), deu uma melhorada, e, graças à parte gráfica, conseguiu montar um SoC competitivo para a atual geração de consoles. Seus núcleos, comparados a processadores de gente grande de desktops, são fracos, mas foi o que deu para colocar dentro do envelope térmico (e de custo...) do SoC. Visto que os consoles duram uns dez anos, é possível sim código otimizado para os vários e fracos núcleos do Jaguar ter algum efeito positivo nos Piledriver/Streamroller. Também é possível, contudo, que pela eficiência muito maior dos processadores da Intel isso acabe não importando... :-(

      Escuto às vezes que uma das principais causas da divisão de processadores da AMD estar no limbo teria sido a compra da ATi (a outra teria sido má gerenciamento puro e simples). Porém os SoC do PS4/XBox One, salvadores da lavoura para a AMD, que conseguirá respirar financeiramente, só materializaram-se por causa do know how da ATi.

      Excluir
    5. Reconheço que, como não tenho muito interesse por estes consoles de última geração (a qual é uma das gerações mais sem graça na minha opinião, juntamente com o Wii U), não pesquisei muito a fundo sobre os Jaguar. Enfim, sempre gostei bastante da AMD desde a época dos K6 e a maré atual está realmente brava... se ela não tivesse conseguido "empurrar" os Jaguar para a Sony/Microsoft e pelo fato de felizmente as GPUs AMD/ATI estarem em um bom nível em relação as Nvidia eu teria sérias dúvidas sobre a viabilidade financeira da empresa.

      De qualquer modo, em um PC de jogos se a pessoa puder gastar um pouco mais é muito melhor colocar logo um i5 (mesmo que seja o mais simples) que não tem erro. Mas na casa das 300 dilmas, realmente é difícil escolher entre o 6300 e um i3.

      Excluir
  2. Olá! Desculpe comentar uma publicação já antiga, é que conheci o blog recentemente - e estou gostando muito. A respeito do FX-6300, pelo que sei possui os 4 módulos de 2 cores, sendo 1 módulo desativado - para ter 6 cores. No FX-4xxx são dois módulos desativados - para ter 4 cores. Já no FX-8xxx os 4 módulos estão ativos totalizando os 8 cores. Procede? Acho o FX-6300 o melhor negócio que existe hoje no mercado, com relação custo x benefício imbatível. Não é à toa que é o processador mais vendido atualmente no Kabum.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem problemas comentar postagens antigas!

      Quando aos FX, a sua observação procede. O FX-6300 sem dúvida possui um bom custo x benefício, só não sei se compraria um hoje, provavelmente esperaria pelos Zen que devem chegar no ano que vem. Veja:
      http://www.michaelrigo.com/2015/08/amd-zen-devem-mesmo-vir-com-tudo.html

      Excluir

Postar um comentário