Black Frauday

Levantamento feito pelo jornal Folha de S.Paulo escancara o que todos nós já sabíamos: a Black Friday tupiniquim é uma amostra dos verdadeiros valores da sociedade brasileira, começando pela desonestidade.


Indo direto ao ponto, dos 719 produtos monitorados pelo jornal, 48% deles já tiveram preços menores nos últimos 24 dias antes da Black Friday. O que mais ilustra isto é o caso de uma geladeira vendida por uma grande multinacional varejista (cujo nome começa pela letra W), que custava R$ 1.900 no último dia 12 e na Black Friday estava anunciada por “apenas” 2.908 temeres-picaretas: por pouco a loja não atingiu a meta da metade do dobro!

A pesquisa considerou como desconto real o mínimo de 5% a menos do que o menor valor registrado nos 24 dias anteriores. Se aumentássemos o desconto e/ou o prazo de monitoramento muito provavelmente loja nenhuma se salvaria. 

Nos EUA o Black Friday é um evento quase que cultural, cujos descontos, sem dúvida, fazem valer a pena esperar o ano todo pela data - nem copiar as coisas direito a mediocridade brasileira permite. 

Esta é a inciativa privada que vai salvar o Brasil?


Comentários

  1. Realmente o Brasil não tem jeito.
    Talves as lojas façam isso porque as pessoas não tem memoria nem politica nem economica. Esquecem facil.
    Acho que essa multinacional varejista que começa com W é a mesma dos Estados Unidos, com a diferença que nos Estados unidos há realmente um preço melhor e respeito ao cliente.
    Atualmente estou morando nos EUA, e hoje, segunda feira, tres dias após o Black Friday comprei um monitor Benq 27 polegadas 2k por praticamente o mesmo preço do Black Friday, por volta de U$ 240,00.
    Infelizmente, e com tristeza, percebo a grande diferença em relação ao Brasil e outros países, e chego a conclusão que nada irá mudar. Para realmente ocorrer uma mudança, ela terá que começar pela forma de pensar do povo Brasileiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que inveja ao ler "Atualmente estou morando nos EUA...". =( Cara, se eu sair do RJ um dia já me dou por feliz. Quero morar em SP; pelo menos não está quebrado, além das coisas funcionarem +/- que essa p***@ de RJ.

      Excluir
    2. Sim, a loja é essa mesma, que se aplicasse nos EUA as políticas que aplica aqui seria defenestrada do mercado.

      E para haver mudança na forma de pensar do povo brasileiro só mesmo educação e cultura de verdade, o que dificilmente vai acontecer - este tipo de coisa nunca foi prioridade de nenhum governo, seja de qual esfera for.

      Excluir
  2. Michel, o problema do Brasil, infelizmente, foi ter tido o azar daquele tal desgraçado Pedro Álvares Cabral ter achado essas terras. A maldição do Brasil começou aí. O caso do Brasil é de intervenção da ONU.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o segundo erro foi ter expulsado os holandeses.

      Excluir
  3. Consegui comprar algumas coisas com preços realmente bons nessa black friday. Mas estive atento ao preço do que queria durante meses, pra chegar na black friday e poder adquirir o que realmente estivesse compensando. Vale aquele velho ditado: só existe o malandro porque existe o mané. E, embora vejamos exemplos dantestos aqui no Brasil, isso ocorre em todo lugar.

    ResponderExcluir
  4. Amigo meu comprou um home theater antes da Black Fraude por R$ 650,00. Durante a tal feira estava por R$ 800,00.

    ResponderExcluir

Postar um comentário