Capitalismo: uma história de amor

Após desintegrar o Yahoo, a CEO Marissa Mayer vai receber algo em torno dos 200 milhões de dólares após a venda para a Verizon. Um prêmio pelo fracasso, talvez o maior da história.


Que os Estados Unidos são a maior nação do planeta, não se discute. Paraíso do empreendedorismo e do capitalismo, trouxe ao mundo empresas e pessoas notáveis, as quais merecidamente são algumas das mais ricas do planeta. Porém uma face desta grande nação não é muito bem conhecida de todos: a de premiar a incompetência.

É o que está acontecendo com a venda do ex-gigante Yahoo para a Verizon. Após a conclusão da negociação, que será votada e muito provavelmente aprovada pelos acionistas do Yahoo em junho, a CEO Marissa Mayer receberá cerca de 186 milhões de trumps pelo pacote de ações que possui da empresa, além de indenizações referentes a salários e bônus pela destituição do cargo de CEO, o que elevará o montante para a casa dos US$ 200 milhões. 

Tudo foi friamente calculado: as ações do Yahoo tiveram uma forte valorização em 2012, no início da gestão de Ms. Mayer, após a empresa investir no Alibaba, grande portal de comércio eletrônico chinês, e também no Yahoo Japão que é uma empresa separada. Porém no que tange à participação da companhia na peleja dos portais de buscas, notícias, publicidade e serviços, o Yahoo continuou em uma forte curva descendente, passando bem longe de voltar ao protagonismo que teve no início do século.

Marissa Mayer, também conhecida como Loura Má

Tamanha indenização trata-se de um valor significativo, principalmente se considerarmos que o Yahoo será vendido para a Verizon por 4,48 bilhões de verdinhas, uma queda notável do valor de mercado após os recentes escândalos de vazamento de dados, que marcaram fortemente a gestão de Ms. Mayer.

O capitalismo realmente é uma coisa linda. Normalmente quando uma empresa quebra e/ou é vendida a outra, principalmente no chão de fábrica é um Deus nos acuda, porém nos altos escalões não é bem assim. Após o fracasso, Ms. Mayer poderá se aposentar com 200 milhões de verdinhas no banco, ou não: muito provavelmente será procurada por alguma outra empresa de tecnologia que queira uma “CEO experiente”.

Marissa Mayer sem dúvida entrará para a história, como a pessoa que foi mais bem paga por acabar com uma empresa que se teve notícia. Menções honrosas para Stephen Elop, que afundou a Nokia, e também para John Sculley, que por pouco não quebrou a Apple.

PS: peguei emprestado o título desta postagem do ótimo filme Capitalism: A Love Story do genial Michael Moore. Recomento fortemente a todos que assistam, vale muito a pena.


Comentários

  1. O que tem de linda-gata-marvilhosa-tetéia-boneca tem de incompetente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela podia ser incompetente lá em casa... :-)

      Excluir
    2. Aqui em casa também. Ela e a Dona Sarkar. Não sei se ela contribuiu para afundar cada vez mais o Windows Mobile, mas aquele biquinho sexy e seu belo decote... dexa keto! kkkkkk

      Excluir

Postar um comentário