De novo esse papo idiota?

De tempos em tempos surge este tipo de conversa para embalar bovinos, e o último a proferi-la é o excelentíssimo Ministro da Justiça, Sr. José Eduardo Cardozo. Conforme o nobre Ministro, “os jogos exploram a cultura da violência, pois o vencedor é sempre quem mata”. Ainda segundo o próprio, há brutalidade até mesmo em esportes que não são minimamente violentos, como os jogos de futebol. Então tá.

Seguindo esta ótica, eu devo ser então uma grande ameaça à sociedade: cresci assistindo aos desenhos do Tom & Jerry e do Pica-Pau, onde os personagens eram explodidos, mutilados e assassinados. Já pratiquei artes marciais e adoro ver lutas do UFC. Meus jogos favoritos são o Carmageddon e o GTA. Vi ao vivo os joelhos do Zico e do Ronaldo serem caçados impiedosamente nos campos de futebol, embora o meu esporte favorito seja o violentíssimo futebol americano. Meu Deus, descobri que sou um psicopata!

Eu chegando em casa louco para jogar GTA


Não Sr. Ministro, os jogos não incitam os crimes, até mesmo porque aqueles que jogam geralmente trabalham e tem dinheiro para compra-los, apesar do alto custo dos mesmos por aqui. Ninguém com as mínimas faculdades mentais vai roubar um banco só porque fez isso no GTA, ou atropelar alguém pois viu no Carmageddon. Já os esportes são mero entretenimento, principalmente o citado futebol. Se alguém socar outro na rua por ter visto uma luta, levem-no imediatamente para o hospício mais próximo: este indivíduo tem sérios problemas mentais, assim como aquele lunático que atirou em um cinema dando a desculpa esfarrapada de ter visto isto no Duke Nukem.

O grande problema, Sr. Ministro, é que está cada vez mais depressivo viver no Brasil. Jornais e noticiários viraram um verdadeiro show de horrores, pois mostram um país onde a bandidagem impera (incluindo-se os colarinhos brancos também) e onde o cidadão honesto é diariamente maltratado pela flagrante omissão do Estado em todas as esferas. É aqui que os meus arroubos de revolta e insanidade surgem, Sr. Ministro, e não quando estou relaxando através de um jogo comprado com o suor do meu trabalho – uma das poucas formas de lazer que ainda são possíveis por aqui.

Como diriam os valentões do meu tempo, este mundo está ficando cada vez mais um lugar de maricas.

EDIT 27/01/2016: assim como o Mestre Dalborga, eu não tô louco!!!! :p





Veja também:

Comentários

  1. Acho que a legenda seria: "Eu saindo de casa depois de jogar GTA". Certamente a violência enfrenta picos em tempos de descontos em consoles e promoções do Call of Duty no Steam.
    Gostaria de saber se nosso digníssimo ministro atribui a corrupção/jeitinho/malandragem que assola nosso país a algum jogo [1].

    [1] http://oglobo.globo.com/mundo/estudante-espanhola-cria-jogo-de-tabuleiro-sobre-corrupcao-14475563

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaaha, boa! Esse vai ser o jogo favorito do Cerveró e de tantos outros!

      Excluir
  2. страна дерьмо

    ResponderExcluir
  3. Sr. Ministro, continuando a lógica do seu raciocínio, onde é que foi que o PT encubou e aparelhou toda essa máquina de desviar dinheiro, visto que, até hoje, não vi nenhum jogo com esse enfoque? Brutalidade é o que o seu partido fez com o Brasil, hipocritás!!!!!

    ResponderExcluir
  4. violência de cu é rôla!
    - Lao Ren Nee
    (Traduzido com Google Translate)

    ResponderExcluir
  5. Quando escuto "omissão do Estado" sinto medo. Porque os burocratas sempre dizem que para (tentar) resolver a questão, ou seja, para termos serviços públicos melhores, são necessários mais impostos. Daí já antevejo o fisco batendo (mais ainda) minha carteira.

    Neste momento, de rombos monumentais nas contas públicas, escutamos o samba de uma nota só: mais impostos para cobrir a máquina ineficiente, perdulária, pois dizem ser impossível cortar despesas. Até quando os brasileiros tolerarão isso? 40% de carga tributária média não está bom? Querem quanto? 60%? Mais? Qual é o limite? Isso sem nem falar nos produtos considerados "supérfluos" pela legislação, cujas alíquotas são pornográficas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. Tungar ainda mais a população pode, agora reduzir o número de ministérios (e os cabides de empregos associados) não pode!

      Excluir
  6. Depois que começaram a querer mudar a historia da Chapeuzinho Vermelho incluindo um lobo mau vegetariano para agradar os politicamente corretos, não duvido de mais nada. Aliás, tomara que criança alguma que ouça ou leia essa nova história encontre um lobo de verdade e queira passar a mão na cabeça e tratá-lo com um fardinho de capim gordura, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse ranço politicamente correto está tornando a Terra um lugar cada vez mais chato de se viver. Parem o mundo que eu quero descer!!

      Excluir
  7. Acho que alguns desenhos com sangue e morte, como Cavaleiros do Zodíaco, jamais seriam feitos hoje.

    ResponderExcluir
  8. Excelente texto e vergonhosa a nossa situação. Os que estudam, trabalham e vivem honestamente são os mais lesados. E cada vez mais as justificativas para a bandidagem, criminalidade não condizem com a realidade de falta de caráter de quem as cometem e o desmando daqueles que deveriam assumir o seu verdadeiro papel de servir o povo e se valem do seu poder em seu benefício. O que fizeram e ainda fazem com a população deveria ser considerado um verdadeiro crime hediondo, pois, pagamos e não temos saúde pública, educação pública,segurança...tudo sucateado, atendimento péssimo... uma violência sem tamanho. Satirizando,ingenuamente vamos criar novos jogos que incitem a bondade, bom caráter... e a obrigatoriedade de jogá-los incansavelmente no Brasil. se for só este o problema!?!?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem que poderia ter um jogo que mostre como é feio ser corrupto...

      Excluir

Postar um comentário