Relembrando a lendária Revista PCs

Conforme eu escrevi no texto Sobre o autor e a proposta do Blog, fui inspirado pelos quatro grandes escritores brasileiros de tecnologia: Gabriel Torres, Carlos E. Morimoto, Laércio Vasconcelos e José Ramalho. Porém uma publicação igualmente nacional que circulou entre o final dos anos 1990 e o início dos 2000 também teve uma parcela desta inspiração: a Revista PCs.

Um verdadeiro oásis em meio ao deserto de superficialidade da maioria esmagadora das publicações tradicionais em papel, a PCs era uma deliciosa leitura para todos os aficionados por hardware. Suas análises e comparativos marcaram época ao explorarem sem firulas e com imparcialidade todos os pormenores dos componentes, ao mesmo tempo em que mantinha um texto ágil e acessível a todos (não sendo uma pornografia para engenheiros, como disse certa vez Steve Ballmer sobre a clássica revista Popular Electronics). De vez em quando releio algumas das boas matérias da PCs, como a surra que o Athlon Thunderbird deu no Pentium 4 Willamette e a introdução do icônico Athlon XP.

A imagem abaixo mostra a minha coleção da PCs, a qual era bem maior mas que infelizmente ao longo dos anos foi se perdendo: mudanças de endereço, empréstimos para camaradas que nunca devolviam...



Realmente sinto pelos mais novos que não tem muitas opções de publicações (digitais ou mesmo as tradicionais em papel) com tamanho refinamento técnico. Quem viu, viu!

Comentários

  1. Eu tinha uma pilha delas, que guardei durante anos. Algumas fui perdendo com o tempo igual a você, mas ainda restava um bom número delas. Porém acabei jogando fora para liberar espaço. Lembrando daquela série sobre processadores (não eram testes, eram artigos sobre teoria de funcionamento desde os primórdios dos x86), contudo, hoje me arrependo de ter dado um fim nelas.

    Foi a única boa revista sobre hardware que apareceu por estas bandas. Uma pena ter acabado.

    Pelo menos ainda tenho a segunda (!) edição do livro "Hardware, Curso Completo" do Gabriel Torres! Está super surrado, mas serve para relembrar dos i386, i486, DOS, etc. :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrando, essas matérias sobre o funcionamento dos processadores x86 foram muito boas! De vez em quando a PCs também fazia uns bons textos sobre Linux e Windows, me recordo até hoje de um especial que eles fizeram sobre o Vi, foi uma mão na roda! Me lembro também da avaliação do Windows Me, onde (merecidamente, diga-se de passagem) eles meteram o pau no sistema... bons tempos!

      Eu tenho a terceira edição do Hardware Curso Completo, comprada em 1999! Ele estava inteiro até pouco tempo atrás, quando a minha filha pequena arrancou algumas páginas... :p Ele é uma ótima fonte de consulta para hardware e sistemas operacionais mais antigos, para as postagens que fiz sobre o XT, 286, 386 e o Pentium consultei ele para refrescar a memória.

      Excluir
  2. Sinto falta mesmo de uma revista de games de 1990 e alguma coisa que não lembro o nome. Mas não era mini-revista, era tamanho normal das de hoje, com muitas páginas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tinha uma pilha de Ação Games, se não me falha a memória ela tinha umas 30-40 páginas.

      Excluir
  3. Tive várias dessas revistas, acabei levando ao sebo de tantas que eu tinha. De games também, com vários detonados, época aurea onde eu locava jogos e passava eras tentando passar de um lugar que parecia impossivel, tenho muita nostalgia e saudade da decada de 90, para mim em muitos aspectos uma decada unica e insubstituivel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente, para mim a geração de ouro dos consoles foi a de 16 bits (SNES/Mega Drive), onde os jogos mesmo com as limitações da tecnologia da época eram muito mais divertidos do que muitas das superproduções de hoje (veja a minha análise do Ayrton Senna´s Super Monaco GP II: http://www.michaelrigo.com/2014/05/o-outro-legado-do-grande-ayrton-senna.html).

      Gosto bastante dos anos 90, foram os últimos antes do mundo virar esse ranço politicamente correto. Mas eu queria mesmo ter sido jovem nos anos 70... :)

      Excluir
  4. Rapaz, eu acho que tenho todas elas. Da n. 1 a n. 50, guardadas com carinho. Se pudesse eu digitalização todas para reler no computador ou smartphone.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é uma relíquia, guarde-a bem! :p
      Eu tive muitas edições (mas não todas), mas infelizmente como escrevi no texto acabei perdendo vários exemplares. Uma pena!

      Excluir
    2. Fiz uma postagem com fotos das revistas que possuo.

      http://625bytes.blogspot.com.br/2015/12/minha-colecao-de-revistas-de-informatica.html

      Ah, eu posso colocar um link do Retroware lá no meu espaço?

      Excluir
    3. Pode sim, sem problemas! Se quiser também posso colocar um link para o seu blog aqui, gostei bastante!

      Excluir
  5. Excelente lembrança. Uma pena ter descontinuado. Revista muito boa sem o excesso de publicidade tendenciosa que tem a maioria das revistas.

    ResponderExcluir
  6. Essa revista foi a revolução da escrita tecnica no Brasil.

    Antes dela só havia enrolação, artigos curtos escritos para burro ler, sem tecnica, sem conseguir prender a atenção do leitor!

    Ou então eram artigos extrenamente tecnicos, como a revista ELETRONICA, do Newton C Braga.

    Ao ler pela primeira vez a PCs fiquei absolutamente perplexo com a qualidade tecnica e uso absolutamente irreverente das palavras, com um unico intuito: era claro a intenção dos autores dos aertigos deixar o publico a par da revolução tecnologica que estava chegando a mais pessoas com o barateamento dos computadores no Brasil.

    Era algo profissional e sem enrolação.

    Nunca mais vi uma coisa tao tecnica escrita de uma forma tão cativante para leigos em tecnologia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente. Um dos exemplos de superficialidade das publicações da época era a revista Info Exame, um horror!

      O meu estilo de escrita aqui no blog é bastante influenciado pela PCs.

      Excluir

Postar um comentário