Basic completa 50 anos!

Logo comemorativo feito pela
Dartmouth College
Às 4 da manhã do dia primeiro de maio de 1964 no porão da Dartmouth College, o professor John Kemeny e um estudante de programação digitaram simultaneamente "RUN" nos seus terminais. Quando eles receberam as respostas esperadas, a linguagem BASIC havia nascido, assim como o conceito de "time sharing" ou tempo compartilhado, o embrião dos modernos sistemas multitarefas. BASIC é a sigla para Beginner’s All-Purpose Symbolic Instruction Code, ou algo como Código de Instruções Simbólicas de Uso Geral para Iniciantes. Além do professor Kemeny, também participaram da criação o professor Tom Kurtz e vários estudantes de programação. O principal objetivo deles era universalizar o aprendizado da informática, tornando o BASIC mais intuitivo do que as linguagens dominantes da época como o Fortran. Um grande diferencial da linguagem era o fato de que ela rodava os comandos em um bloco único de uma forma muito mais ágil do que as demais linguagens interpretadas da época, que rodavam as instruções linha a linha. 

Sem dúvida o BASIC foi uma enorme revolução, pois cumpriu com louvor o seu objetivo de permitir que "pessoas normais" também fossem capazes de programar computadores e teve um papel crucial na gênese dos computadores pessoais. Para termos uma ideia do seu impacto: Steve Wozniak fez uma versão do BASIC para o Apple II. Bill Gates e Paul Allen também fizeram uma versão para o Altair, além de prover suporte completo para a linguagem no padrão de computadores MSX e nos futuros sistemas operacionais PC-DOS e MS-DOS dos primeiros PCs da IBM. Além de que muitos outros computadores pessoais da época, como os Tandy TRS-80 e os Atari, além dos baseados no sistema operacional CP/M, também possuíam um interpretador BASIC. A Microsoft, aliás, continuou investindo na linguagem. Em 1985 lançou o QuickBASIC, um compilador para o BASIC que depois evoluiu para o QBASIC presente nas últimas versões do DOS e nos Windows 9X/Me. O Visual Basic surgiu para ser uma linguagem para o desenvolvimento de macros para o Microsoft Office.

Passados 50 anos da sua criação, é inegável que o BASIC contribuiu enormemente para a trazer a computação para as pessoas normais, o qual foi um dos pilares do seu desenvolvimento.




Por fim, o Dartmouth College criou o hotsite BASIC at 50 para lembrar da data, que conta com muitas informações e com uma galeria de fotos da época caprichada. Recomendo a visita!

Veja também:

Dica rápida: instalando o Visual Basic 6 no Windows 8.X

Comentários

  1. Respostas
    1. [mae_dinah] Pois é... mas se não fosse ela provavelmente o .net não existiria... [/mae_dinah] hahahahahaha

      Excluir
    2. uhhuuhuhuhuhhahahahahahahah com certeza, várias outras linguagens não teriam aparecido, mas creio que a mais importante de todas seja o C, devido sua utilização e proposito histórico.

      Excluir
    3. Se não fosse o C nós teríamos o Obol, o Pasal e o Lipper! hahahahaha

      Excluir
    4. Dessas ai, creio que a única que faz frente ao C em velocidade e possa ser também de médio nível é o Pascal, comento de C, porque com ela podemos escrever banco de dados, processamento de imagens, Sistema Operacionais, Jogos etc.. tudo graças a benção que é o ponteiro, e sei que o Pascal também tem ponteiro.

      Excluir
  2. Tempo em que os homens eram homens, e escreviam seus próprios código-fonte..... eu mesmo tinha feito curso de Basic em 1990, quando eu tinha apenas 10 anos de idade..... tanto tempo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você começou cedo!
      Eu já comecei com o Pascal quanto tinha 17 anos.

      Excluir

Postar um comentário