Restaurando uma relíquia da Reserva de Mercado (Parte 6 - Upgrade)

Hoje é o dia de retomar séries de postagens antigas! Depois de um longo e tenebroso inverno (e também primavera e verão... rs), a série de postagens sobre o nosso querido PC-XT representante genuíno da reserva de mercado enfim recebe uma atualização: a adição de uma segunda unidade de armazenamento, o que facilita bastante o seu uso. Todos os detalhes aqui!



Conforme pudemos observar até a Parte 5 desta série, em função das limitações da tecnologia da época este PC consegue reconhecer apenas unidades de disquete de 5,25” e 360 KB (dupla densidade). Uma vez que recebi o equipamento com apenas uma destas unidades, utilizá-lo acabava tornando-se meio que um exercício de paciência pela necessidade da troca constante entre os disquetes com o sistema operacional e os aplicativos.

Pensei em adicionar ao XT uma placa controladora Super I/O com BIOS própria, a qual permitiria adicionar até discos rígidos no equipamento, mas como procuro manter sempre a originalidade dos equipamentos no máximo possível logo desisti desta ideia. Isto posto, decidi procurar por uma segunda unidade de disquete de 5,25” e 360 KB e felizmente consegui obter uma em ótimo estado, conforme é possível verificar nas imagens.

O drive está como zero - inclusive veio com a proteção original em papelão


A unidade é fabricada pela Chinon, modelo FZ-502.



Os testes preliminares com a unidade ainda fora do gabinete: a BIOS do XT a detectou sem problemas. :p



Já montada no gabinete, a unidade nova (na parte de baixo) está carregando o Turbo Pascal 6. Muito bom!



O XT ficou bonitão!



A nova unidade (abaixo) ficará responsável pela leitura dos disquetes com os aplicativos, enquanto aquela que já estava presente no equipamento será responsável pela carga do sistema operacional.



Eis uma nova imagem da montagem do XT, mostrando a placa de vídeo Trident 8900D, a controladora Super I/O HMC e a fonte de 200 W original.



Eis as duas unidades instaladas. Aproveito aqui para deixar uma dica sobre a instalação de unidades de disquete, quaisquer que sejam o seu tamanho e capacidade: a definição de qual unidade será a primária (drive A:, que pode ser utilizada como unidade de boot) e a secundária (drive B:) é feita conforme a posição das mesmas no cabo de dados – a unidade plugada no conector do final do cabo será sempre a primária e a que estiver no conector do meio será a secundária. 

É interessante também mencionar que o Setup de várias placas mãe possui um parâmetro chamado “Floppy Drive Swap” ou similar que permite trocar as letras atribuídas às unidades sem alterá-las fisicamente de posição no cabo de dados.



Por fim, este upgrade sem dúvida melhora bastante a usabilidade de qualquer PC antigo que não tenha suporte nativo para discos rígidos, e o que é melhor, mantendo a originalidade. Aguardem novas atualizações desta série!

Anterior:

Veja também:

Comentários

  1. Está faltando um HD daqueles MFM, tipo o ST-251 de 40 MB.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida. O problema é achar um em boas condições juntamente com a controladora, e quando se acha geralmente enfiam a faca. Mas a busca continua!

      Excluir

Postar um comentário