Justa homenagem a Alan Turing (e o LacraGiz ataca novamente)

O notável cientista da computação Alan Turing será homenageado de forma justíssima na nova nota de 50 libras que circulará a partir de 2021. E o Gizmodo novamente entrou na lacração e mostrou um elevado nível de esquerdopatia.


Acho que o gênio Alan Turing dispensa apresentações. Além da sua inestimável ajuda à causa aliada durante a Segunda Guerra Mundial por decifrar a máquina codificadora alemã Enigma, também podemos dizer que Turing é o pai da computação como a conhecemos hoje. O conceito da Máquina de Turing, ou máquina universal, é o que permeia os computadores digitais modernos que temos e usamos até a atualidade.

Desta forma, é merecidíssima a homenagem feita pelo Banco da Inglaterra. E antes que falem sobre a homossexualidade dele, afirmo que Turing entrou para a história da humanidade pela sua genialidade, e não pela sua sexualidade. De qualquer modo, a antiga lei inglesa que criminalizava a homossexualidade realmente era um absurdo que felizmente foi revisto.

Eu li a notícia no Gizmodo, que a exemplo de outra postagem recente, parece estar sofrendo de esquerdopatia aguda. O autor da postagem, um tal de Matt Novak, conseguiu profanar a bela homenagem ao imortal Turing para fazer mais um patético e fantasioso protesto contra o presidente Trump. Reproduzo aqui os dois últimos parágrafos, ipsis litteris:

"Os EUA quase acrescentaram uma mulher negra à sua moeda pela primeira vez quando o governo Obama anunciou em 2016 que a abolicionista e lutadora pela liberdade Harriet Tubman seria acrescentada à nota de 20 dólares até 2020. Mas o regime de Trump afugentou esse plano, dizendo que a cédula não estaria pronto a tempo. O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, disse que o redesenho não estaria pronto até 2028, muito depois de o presidente Trump presumivelmente deixar o cargo.

O regime de Trump tem um histórico de se opor às pessoas não-brancas e às mulheres em geral, embora a razão para o cancelamento de Tubman seja o fato de o presidente Trump amar o presidente Andrew Jackson, o homem atualmente retratado na nota de 20 dólares. Jackson, é claro, é mais lembrado pela Trilha das Lágrimas (viagens de recolocações e migrações forçadas, impostas pelo governo dos EUA às diversas tribos de índios como parte política de remoção indígena) e outros atos genocidas contra os nativos americanos."

Como assim, o "regime" de Trump? Até onde eu sei, os EUA nunca deixou de ser presidencialista. E o resto, bem, se trocar o nome de Trump pelo de Bolsonaro dá para dizer que foi escrito por algum maconheiro do Lula Livre. Realmente esquerdopata é a mesma shit em qualquer lugar do mundo, mas me admira ter tantos deles nos EUA.

Pelo que tenho lido e visto em mídias independentes (as mídias tradicionais canalhas jamais vão noticiar isto), a economia americana está na sua melhor forma em 50 anos e a popularidade do presidente está nas alturas. Assim, lamento dizer aos canhotinhas yankees, mas eles podem JÁ IR se acostumando para mais quatro anos com o presidente Trump. Four more years! 😂

Quanto ao Gizmodo, eu até gostava dele e acessava regularmente, mas depois destes dois exemplos de falta de bom senso eu desisto e vou removê-lo dos meus favoritos. Quem lacra não lucra.

Comentários

  1. Concordo plenamente! Alguns veículos jornalísticos de tecnologia ultimamente estão dedicando mais tempo em debate político/ideológico (lacração) do que efetivamente falar de tecnologia. Uma pena!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Eu mesmo reduzi as postagens sobre política aqui (apesar de ser um blog pessoal, no qual teoricamente eu poderia escrever sobre qualquer coisa) e deixei esse assunto mais para as minhas redes sociais, pois sei que a maior parte dos meus leitores não curte muito o tema. Mas quando eu li esse lixo do Gizmodo não pude me segurar.

      Falta bom senso a muitos meios jornalísticos, que simplesmente jogaram a imparcialidade na latrina guiados por fracassadas ideologias. E isso em sites de tecnologia é ainda mais injustificável.

      Excluir

Postar um comentário