Lembrem-se disto na hora de votar

O preço do SNES Classic Edition no varejo brasileiro é uma afronta à nossa inteligência.



Existe alguma justificativa plausível para um produto que custa 80 trumps nos EUA custar aqui mil temeres-picaretas? No Brasil, até mesmo relembrar os seus jogos da infância e adolescência custa muito caro.


Os custos de importação e a carga tributária explicam parte deste absurdo, sendo que a outra parte está em toda uma cadeia de distribuição que pratica margens elevadas de lucro. Sobre o processo de importação de eletrônicos Gabriel Torres fez um vídeo muito esclarecedor: assistam até o final e revoltem-se.


Este ano tem eleição pessoal, que é a única forma de tentarmos mudar algo sem recorrermos a armas. Votem conforme as suas consciências e não entrem no papo furado politicamente correto de votar no “menos pior” ou no “rouba mas faz”: se nenhum candidato lhe agradar, anulem o voto ou simplesmente não votem. 

O voto nulo não é uma “afronta à democracia”, mas sim é o único recurso que temos neste nebuloso processo eleitoral brasileiro. No dia em que o voto não mais for obrigatório (o Brasil deve ser o único caso no mundo onde o cidadão é obrigado a exercer um direito) e as urnas eletrônicas forem aposentadas (ou puderem ser auditadas se forma mais aberta e transparente), talvez a minha impressão mude.

Sobre as urnas, em minha opinião no mínimo as mesmas deveriam ter o código-fonte aberto e de domínio público, inclusive do software que faz a apuração. Uma auditoria externa e independente (preferencialmente de fora do país) verificaria se este mesmo código é o que foi compilado e, é claro, o comprovante de votação deveria ser impresso.

Uma eleição com um número expressivo de votos nulos e abstenções seria um recado claro como um raio de sol à classe política da nossa insatisfação, sem dúvida uma das melhores formas de protesto.

Comentários

  1. Quero assistir os debates com pipoca e refri, porque a coisa vai ser circense com Bolsonaro, Dr. Rey (!), Luciano Huck (!!), Temer (!!!) e Collor (!!!!) na disputa. Um roteirista hollywoodiano louco no LSD não inventaria uma trama tão absurda como essas eleições :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso sem falar da Marina Silva (!!!!!), Ciro Gomes (!!!!!!) e do Lula (!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!). Essa eleição será um show de horrores.

      Excluir
  2. O que me entristece é que o brasileiro está embriagado de populismo. Todos querem seus "direitos", mas não querem saber quem os bancará. E, quando são confrontados com o *fato* do Estado brasileiro estar *falido*, saem pela tangente com alguma bobagem como "é culpa da corrupção". Ninguém nega o efeito nefasto da corrupção; antes dela, porém, há muitos outros meios pelos quais nosso dinheiro é drenado. Eu começaria pelos supersalários do serviço público...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Além de demonizarem os patrões. Claro que os empresários brasileiros não são santos, mas são eles que geram empregos e pagam os salários (além dos muitos outros encargos).

      Excluir

Postar um comentário