Bye bye grid girls!

Na próxima temporada da F1 não mais veremos aquelas mulheres que davam um toque de charme e beleza nas pistas. Este mundo realmente está ficando cada vez mais chato.


Sim, as feminazis e outros bandos politicamente chatos venceram novamente. O Liberty Media, grupo que atualmente controla as operações da F1 (que saudade do "bom velhinho" Bernie...), afirmou que dispensou as moças pois elas não estariam de acordo com os seus princípios. Puta que o pariu.

Há quem diga por aí que isto é algo acertado pois afastaria os tarados e ogros das corridas. Se a justificativa for esta é ainda pior: aqueles que apenas querem curtir um bom espetáculo, do qual as grid girls eram um destaque, serão penalizados pelo comportamento inadequado de meia dúzia de doentes mentais. Novamente, os bons pagam pelos maus.

Aliás, os motores da F1 atual (que hoje são chamados de "unidades de força"...) mostram que outros chatos venceram: os ecobobos. Essas trapizongas com sistemas de recuperação de energia associados a baterias para o armazenamento são uma grande hipocrisia: tais baterias usam metais pesados, em um processo de fabricação extremamente poluente, sem falar do problema que é descartar corretamente as mesmas. Esta questão também se aplica perfeitamente à febre dos carros elétricos que assola a Europa, sobre a qual eu abordei nesta postagem.

Acompanho a F1 desde meados da década de 1980 e, além do privilégio de testemunhar as carreiras dos grandes Piquet e Senna, podia me deliciar com aqueles carros de design diferenciado (não eram todos parecidos como são hoje) empurrados por aqueles motorzões V8, V10 e V12, com o ronco característico de cada um (enquanto que as "unidades de força" atuais mais parecem aspiradores de pó...). Sem falar que também não tinham artificialidades como asas móveis, as ultrapassagens eram no braço e talento - quem viu, viu, quem não viu vá ver no YouTube que vale muito a pena.

Em tempo, as grid girls estão fulas da vida. A frase da modelo Rebecca Cooper resume com perfeição a situação:

"O politicamente correto enlouqueceu"

E fim de papo.

Comentários

  1. Isso foi uma bobagem sem tamanho, não tem nem como entender. Tiraram o ganha-pão das gurias, por uma onda boba de conservadorismo e puritanismo, apoiada pelas mesmas que gritam "meu corpo, minhas regras", mas que na verdade quer dizer "seu corpo, minhas regras retrógradas, e fique quieta", totalmente o oposto daquilo pelo que o mundo marchou desde os anos 60. Quanto ao Bernie, não tenho saudade não, porque ele deixou a F1 estéril, os pilotos não podiam nem postar fotos dos boxes ou dos carros. Espero que a Liberty force a divisão justa do bolo, como na Indy e liga inglesa de futebol pra que as pequenas tenham chance de ao menos ir ao pódio, e não essa procissão Mercedes-Ferrari-RedBull que há anos vemos, e que desgasta o esporte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tirando essas porcarias das "unidades de força" e as asas móveis já era um bom começo... e, é claro, com as grid girls de volta! Os caras do Liberty cagaram feio nessa.

      Podiam deixar essas tralhas elétricas apenas para a F-E, a F1 deveria continuar sendo o supra sumo dos motores a combustão tradicionais. O Bernie queria a volta dos V-oitão, por isso que eu referi a ele como o "bom velhinho"... rsrs

      Excluir
  2. O próximo alvo são as garotas das plaquinhas das lutas de boxe e mma...

    ResponderExcluir

Postar um comentário