Primeiras impressões: SSD genérico chinês de 32 GB

Na ponta inferior das tabelas de preços dos SSDs estão os chamados modelos genéricos. Será que eles são uma boa opção?


A minha intenção é que esta análise fosse no estilo “unboxing e primeiras impressões”, porém como este SSD vem embalado apenas em um plástico antiestático achei que o termo “unboxing” ficaria sem propósito... 😃

Eis o SSD genérico, que leva a marca Goldenfir:


O seu PCB é diminuto:


Há basicamente apenas o controlador e um chip de memória flash – notem o espaço vazio com pontos de solda ao lado, o que indica que os modelos com 64 GB teriam dois chips flash. A serigrafia dos chips é tão apagada que a minha câmera não capturou, muito embora eu não consegui encontrar quaisquer informações sobre os mesmos com base nos códigos.

A unidade utiliza a interface SATA-300.


Desempenho

Os testes foram realizados em um PC equipado com um Intel Core 2 Quad Q6600, 4 GB de RAM DDR2-800, placa-mãe Gigabyte G41M-ES2L e placa de vídeo Nvidia GeForce GTX 650 Ti de 2 GB. O sistema operacional é o Windows 10 Creators Update.

CrystalDiskMark

Os resultados nas operações de leitura e escrita mostraram um abismo. Enquanto que os números de leitura até que foram aceitáveis dadas as características técnicas e o baixo custo do SSD, os de escrita mostraram uma grave limitação desta unidade, não passando de risíveis 10 MB/s (o disco rígido do meu 286 deve sustentar uma taxa parecida). Muito provavelmente o chip de memória flash utilizado deve ser um de pendrive, porém deficiências no controlador não podem ser descartadas. O mais provável é que sejam ambos.


Comparei os resultados com os obtidos por um antigo disco rígido mecânico SATA Samsung de 160 GB (7200 RPM e 8 MB de cache). Embora este perca nas leituras, é muito superior nas escritas:


AS SSD

No AS SSD a tendência se manteve, muito embora aqui ele tenha atingido “incríveis” 19 MB/s na escrita sequencial. Esta deficiência manifesta-se perceptivelmente no sistema operacional, a cada vez que o mesmo precisa escrever algo e nas instalações dos softwares.


Notem os resultados obtidos pelo disco Samsung, principalmente nas escritas: o SSD genérico consegue ser pior até mesmo no tempo de acesso! 😱


Conclusão

Que os SSDs não são exatamente baratos, ainda mais aqui na propinolândia, é uma verdade incontestável. Porém não adianta querer economizar e comprar uma bomba como esta: guarde um pouco mais de dinheiro e compre um modelo de alguma marca conhecida e estabelecida, nem que sejam os de entrada.

Tecnicamente falando, as graves limitações nas operações de escrita prejudicam enormemente o desempenho desta unidade, eclipsando totalmente os benefícios que seriam obtidos nas leituras. Em suma: passem longe.

Veja também:

Comentários

  1. Agora é torcer pro mercado não ser invadido por esses (ironic modo On) SSD de alta performance (ironic mode Off).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Mercado Livre já tá cheio desses SSDs genéricos, não necessariamente desta "marca".

      Excluir
  2. Jesus Maria José! Não é possível que uma atrocidade dessas possa existir. Se ainda fosse a NAND usada num pendrive USB 3.0, vá lá, mas isso aí é demais pra cabeça. Nem pela capacidade essa tosqueira serve. Acho que as NANDs eMMC 4.51 usadas em smartphones de entrada de 2013 devem ser melhor que isso aí. São muita corajosos, tem de se admitir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comprei não esperando muita coisa, ciente da bomba em potencial. Já o que terão de desavisados que vão comprar achando que estão levando um Samsung...

      Excluir
  3. E nós ainda reclamávamos do UDMA 33 ou PIO Mode 16 MB/s. Huahuahauha Que horror!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aquelas malditas PC-Chips que precisavam de gambiarra para ativar o UDMA ainda... :-(

      Excluir
    2. Rapaz, é verdade. Bons tempos, #sqn.

      Aliás, a PCCHIPS só detonava o desempenho das placas para K6-2 ou é impressão minha? Por exemplo, não se falava tão mal das placas P5S, que usavam o mesmo SiS 530 das M598, só que do lado da Intel.

      Excluir
    3. Teve alguma P5S da PC-Chips? Pelo que eu sei as P5S são da Asus.

      Excluir
    4. Eitcha! Joguei no coelho e acertei no burro. Sim, sim. A P5S não é da PCCHIPS. Eu associeia PCCHIPS ao SiS530 e aí confundi as bolas. Mas tipo, a P5S usava o mesmo SiS530, mas ela não chegou a ter a má fama das M598. Só pecava mesmo no chipset gráfico. Agora, essa M598 meu Deus! Cheguei a ter uma dessas por algum tempo. Não sei o que a PCCHIPS arrumou nela que comprometeu o desempenho global da placa toda. Grande parte da má fama do K6-2 se deve a essa famigerada M598. Cheguei a mexer numa P5A e nos poucos minutos que operei ela pude entender a boa fama dela. O K6-2 ganhava vida nessa placa.

      Excluir
    5. Realmente as P5S não eram ruins, nelas o SiS 530 fica bem decente. A sua grande limitação era não oferecer um slot AGP, obrigando o uso de uma VGA PCI para poder desabilitar completamente a porcaria do vídeo onboard.

      Excluir

Postar um comentário