Unboxing e primeiras impressões: Fonte de alimentação Thermaltake Smart de 600 W

A Smart é uma série de fontes de baixo custo da Thermaltake que são facilmente encontradas no mercado brasileiro. Confira aqui uma análise preliminar do modelo de 600 W.



Eis a embalagem da fonte Smart de 600 W com o selo da certificação 80 Plus padrão, que prevê uma eficiência mínima de 80% em uma temperatura ambiente de 23 ºC. Aos menos versados em eletrônica, a eficiência de uma fonte é a quantidade de energia elétrica que ela gasta para o próprio funcionamento: tomando como exemplo uma fonte com 80% de eficiência, isto significa que 20% do que ela “puxa” da tomada é usado para a alimentação dos seus circuitos internos. Se esta fonte consumir 100 W da tomada em um determinado momento, fornecerá 80 W aos dispositivos por ela alimentados.

A temperatura ambiente também é importante para determinarmos a eficiência de uma fonte de alimentação, pois quanto maior esta temperatura menor será a eficiência.


O verso da embalagem traz a distribuição de potência e corrente da fonte, e a expectativa de eficiência declarada pela fabricante. De fato, conforme o relatório da empresa que certifica as fontes para o programa 80 Plus a eficiência média da Smart de 600 W foi de 83,78%, um bom número para uma fonte de baixo custo.

Há também na embalagem o número de conectores: um ATX de 20/24 pinos, um conector de alimentação auxiliar de 12 V de 4/8 pinos, dois PCI Express de 6/8 pinos, três conectores de periféricos (também conhecidos como “molex”), um para uma unidade de disquete de 3,5” e cinco SATA. Note a indicação da seta na ilustração do conector SATA, pois será importante a seguir.


Acompanham a fonte folhetos com as características técnicas e um cabo de alimentação para tomadas no (maldito) padrão brasileiro.


Eis a Thermaltake Smart de 600 W.


Os fios são 18 AWG.


A fonte possui uma ventoinha de 120 mm com controle de rotação:


Como há um circuito PFC ativo (assim como preconiza a certificação 80 Plus) não existe uma chave para a seleção da tensão de entrada. No caso desta fonte o circuito PFC (fator de correção de força) permite que ela seja alimentada com uma tensão de 100 a até 240 V.


Ao examinar os cabos e conectores, logo notei que o conector SATA não possui o fio laranja que conforme a especificação SATA fornece a tensão de 3,3 V. Embora até hoje eu nunca tenha visto um dispositivo que utilize o conector SATA fazer uso da tensão de 3,3 V, sem dúvida trata-se de uma economia porca da Thermaltake e até mesmo propaganda enganosa, visto que a ilustração da embalagem destacada acima traz o conector completo, com todos os fios.


Como é de praxe, sempre testo qualquer fonte de alimentação (nova ou usada) antes de aplicá-la com o testador Dr. Power II da própria Thermaltake. Na maioria dos testes tudo ocorreu dentro do esperado:


Porém ao chegar no teste do conector SATA o aparelho acusou falha na tensão de 3,3 V, o que era esperado visto que o conector simplesmente não possui o fio que fornece esta tensão.


Concluindo, a fonte Thermaltake Smart de 600 W até que possui um bom acabamento e um número de conectores razoável para um produto da sua faixa de preço, além da certificação 80 Plus padrão, porém a economia feita no conector SATA é imperdoável e passa uma péssima impressão. A Smart até que é uma opção de compra válida, mas apenas se estiver em um preço razoavelmente abaixo das demais fontes da sua faixa de potência e eficiência.

Veja também:

Comentários