Quando o malandro vira mané

De tanto tentar levar vantagem em tudo muitas vezes o brasileiro vira um autêntico mané, do tipo que acessa o banco a partir de redes Wi-Fi públicas.



A Lei de Gérson é uma das poucas leis que realmente são seguidas no Brasil, cujo único parágrafo é o que rege a vida de muitos: "Leve vantagem você também". Uma das aplicações desta Lei é a não menos icônica frase "De graça até injeção na testa!", e diante destes preceitos nada mais natural a constatação de que o brasileiro adora filar um Wi-Fi gratuito. Por que pagar por Internet? Leve vantagem você também!

Pois bem, tal preâmbulo foi necessário para ilustrar esta pesquisa feita pela Norton e divulgada pelos amigos do site hardware.com.br, a qual mostra que 90% dos brasileiros acessam o Internet Banking através de conexões Wi-Fi públicas. De pretensos malandros viram perfeitos manés, ou melhor, malandros-manés.

Quem tem um mínimo de entendimento em segurança digital sabe que, em redes públicas, não existem as menores condições de segurança para acessar algo como um Internet Banking - depois que tem a conta devidamente zerada por um golpista virtual, o malandro-mané vai à agência chorar as pitangas ao gerente. Aliás, não são apenas os golpistas virtuais que fazem a festa: até hoje existem malandros-manés que caem em golpes antediluvianos como o do bilhete premiado.

PS: aos mais jovens principalmente aqui vai uma breve explicação de onde surgiu o termo Lei de Gérson: em 1976 o então jogador da seleção brasileira de futebol Gérson fez uma propaganda de cigarro que trouxe a famosa frase. O ex-jogador arrepende-se até hoje de ter feito a peça publicitária, a qual reproduzo abaixo:


Veja também:
Dicas para não cair em golpes baseados em Engenharia Social

Comentários

  1. Esse é o povo brasileiro, egoísta, egocêntrico que só sabe levar vantagem em tudo e não pensar coletivamente. Por isso temos os políticos escória que merecemos, e uma sociedade acéfala.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente. A classe política é o reflexo da sociedade.

      Excluir

Postar um comentário