O Adobe Flash vai (muito) tarde

Nesta semana a Adobe marcou oficialmente a data da morte do famigerado Flash: será em 2020. Antes tarde do que nunca!



Criado no início do século pela Macromedia (comprada pela Adobe em 2005), o Flash foi a primeira plataforma capaz de lidar com conteúdo multimídia a se tornar algo próximo de um padrão. Fazendo justiça, no seu tempo o Flash realmente foi inovador e permitiu o surgimento de muitos serviços até então impensáveis, sendo que o mais famoso deles é um tal de YouTube.

Porém mesmo sob a batuta da Adobe a tecnologia ficou estagnada no tempo e tornou-se uma fonte de problemas, que vão desde um desempenho pobre com uso excessivo de recursos do equipamento até, o que é bem pior, falhas crônicas de segurança. Paralelamente o HTML5 foi comendo pelas beiradas e hoje é uma alternativa muito superior ao Flash em qualquer aspecto, para a nossa alegria e a dos desenvolvedores.

Conforme o comunicado da Adobe, o Flash gradativamente deixará de ser atualizado e quem ainda o utiliza terá até 2020 para migrar. Sinceramente, o criador de conteúdo que em pleno 2017 usa o Flash merece levar umas boas palmadas - aqui no blog o Flash foi erradicado em agosto do ano passado.

Comentários