e-Sports: os nerds na crista da onda

Sei que vou mexer em um vespeiro, mas não resisti e resolvi dar os meus pitacos sobre a última moda, os e-Sports e os seus “atletas”.



Domingão, após o tradicional almoço com a família, estava eu correndo canais até que parei na ESPN. Chamou-me a atenção uma publicidade que passava no supracitado canal, que dizia mais ou menos assim:

“É com muito orgulho que pela primeira vez a ESPN transmite um campeonato de e-Sports com cobertura completa, inclusive dos bastidores dos atletas...”

Para tudo. Atletas? Puta que o pariu! Mas antes das minhas considerações, eis a definição da palavra "atleta" segundo o Aurélio:

1. Pessoa robusta e destra nas lutas, na Antiguidade clássica.
2. Praticante de esporte.
3. Praticante de qualquer disciplina de atletismo.
4. Pessoa robusta ou muito valente.

Não me levem a mal. Sou um nerd assumido, com muito orgulho e muito amor, mas chamar uns jovens prostrados em frente ao PC de atletas é demais. Se for assim, sou um grande atleta e nem sabia! Aliás, sou um atleta desde os seis anos de idade, quando me matava de jogar Enduro, River Raid e Pitfall no Atari 2600!

Tais campeonatos de e-Sports lotam estádios e salas de cinema, sendo transmitidos com direito a narradores e comentaristas, só falta o tira-teima! Nunca antes na história deste mundo os nerds estiveram tão no mainstream, tão na crista da onda! Eu, como nerd, deveria estar feliz. Mas não estou.

Talvez eu esteja ficando um velho rabugento, mas tudo que chega ao mainstream fica irremediavelmente banalizado. Hoje qualquer um que saiba jogar Counter-Strike pode se autointitular nerd, apenas para ficar mais popular no colégio e no Facebook. Conforme escrevi em minha breve autobiografia, os nerds do meu tempo eram desbravadores, verdadeiros escovadores de bits. Não tínhamos muitos amigos e várias garotas passavam longe, é verdade, mas os amigos e as garotas que estavam com nós é porque realmente gostavam. Sem falsas aparências. Nós éramos o que éramos.

Enfim, a nutellização das coisas chegou também aos nerds. Nada parece estar a salvo e o mundo torna-se cada vez mais insosso, infelizmente.

Exemplo de nerd raiz

Comentários

  1. Sendo assim, eu era um atleta mesmo, pois quando mais jovem pedalava até uns 30 km -- pouco comparado a ciclistas profissionais, mas para um nerd estava maravilhoso. Hoje se conseguir uns 10 km sem ter um piripaque já levanto as mãos para o céu. Atleta de fim de semana, com direito a barriga de cerveja agora. hahaha

    Sobre os tais eSports... cheguei a brincar um pouco naquele jogo do Wii (nem sei o nome). Até é legalzinho, se deixarmos as falhas do sistema de lado em nome da diversão. Agora fazer transmissão e campeonato? Meio forçado, né...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, vendo por este lado então realmente posso me chamar de atleta, pois eu praticava judô! rsrsrs

      Agora, tratar jogadores de CS e Dota como celebridades é de matar, assim como youtubers. Estou mesmo ficando velho.

      Excluir

Postar um comentário