Bem-vinda de volta, Maxtor!

Aos que não sabem, em 2006 a então famosa fabricante de discos rígidos Maxtor foi comprada pela Seagate que após algum tempo descontinuou totalmente a marca. E não é que agora, dez anos depois, o nome Maxtor surge novamente em uma linha de disco rígidos portáteis com conexão USB?

Um dos últimos produtos da Maxtor, o DiamondMax Plus 9 ATA-133 é um dos mais rápidos discos IDE que já usei


O que a Seagate na verdade fez foi renomear a linha de discos portáteis de Samsung para Maxtor: temos agora os Maxtor M3 com modelos de 500 GB até 4 TB, e também a linha Maxtor D3 Station com capacidades de 2 até 5 TB com mais de um disco interno (porém sem contar com um arranjo RAID). Ambos os modelos utilizam uma conexão USB 3.0 tanto para dados quanto para alimentação.

Disco externo Maxtor M3, igualzinho ao Samsung M3 que tenho. Imagem: Anandtech 


Em 2011 a Seagate adquiriu a divisão de discos rígidos da Samsung, e especula-se que o prazo no qual ela podia utilizar a marca coreana expirou, assim tornando-se necessário buscar outra marca para a sua linha de discos externos intermediários. Como já fazia parte do seu portfólio a marca Maxtor foi uma escolha lógica - afinal de contas, trata-se de um nome bastante conhecido e com certa tradição no mercado.

Bem que a Seagate podia continuar a iniciativa e ressuscitar também a lendária marca Quantum, que foi comprada pela própria Maxtor em 2001. Seria demais!

Veja também:
Seagate lança disco rígido de 10 TB para uso doméstico

Comentários

  1. Acho matador o visual dos HDs da Maxtor, muito mais imponente que os SAMSUNG e Quantum da vida, fora que o nome DiamondMax me lembra as placas de vídeo Diamond, aí vira nostalgia pura. É ou não muito mais prazeroso montar um sistema com cabos IDE do que cabos SATA?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida, se for com os IDE 80 vias então é melhor ainda!

      Excluir

Postar um comentário